A difícil realidade dos bairros que cercam a rota do turismo em São Roque


Ao chegar à Estrada do Morita é possível notar as péssimas condições da rua. Sem calçamento, esburacada, com risco de queda, e sem condições de tráfego de veículos em dias chuvosos.

Os moradores da Estrada do Morita, localizada no bairro Recanto dos Pássaros, próximo ao Roteiro do Vinho, estão preocupados com o descaso das administrações públicas, que há anos prometem fazer melhorias no local. Nossa equipe esteve lá conversando com moradores e como afirmam nos relatos, é possível confirmar que nada ocorreu até hoje.

“Moro aqui há mais de 20 anos e nada foi feito até hoje. Não temos água, esgoto, iluminação pública, ou até serviços básicos como ônibus, policiamento e coleta de lixo e serviço dos Correios. Tenho que andar quase três quilômetros para jogar o lixo, pois o caminhão só chega até um ponto da Estrada do Vinho”, disse a moradora Maria “Portuguesa”.

O local está na região mais turística de São Roque, é caracterizado de acessos sem asfalto, terrenos abandonados, cheios de mato e animais peçonhentos, e de acordo com quem vive ali, está esquecido pelo poder público.

“Pagamos nossos impostos corretamente, mas não vemos nada revertido para nós, parece que o investimento ocorre só onde os turistas passam. Tem dias que chove e acaba a energia, ficamos por horas ou até dias no escuro”, desabafou o morador José Caetano.

O idoso Joaquim Ferreira, 65 anos, afirma que é complicado sair de casa quando está chovendo. “A estrada já é péssima em dias normais, agora imagine quando chove, tem carros que não conseguem subir e acabam entalando no barro”, disse.

“Aqui sofremos até com a falta de comércio, mas pense bem, como um comerciante vai abrir um negócio aqui, se nem água tem? Como um proprietário de algum estabelecimento irá investir aqui, se não existem os serviços básicos para a população? Estamos realmente abandonados”, comentou com lágrimas nos olhos Maria “Portuguesa”.

A redação do jornal O Democrata andou pelas arredores da Estrada do Vinho, nos bairro do Carmo, Pavão e Sorocamirim e pode constatar que os problemas são quase os mesmos. Nas vias principais tudo funciona muito bem, mas os problemas são as ruas que dão acesso a algumas partes do bairro. Locais sem iluminação pública, buracos, falta de manutenção, capinação nos acostamentos e etc.

Através de uma rede social, um morador do bairro Pavão pede socorro ao Poder Público. “O bairro do Pavão pede socorro. É lixo jogado, buracos nas ruas, bueiros quebrados e entupidos, tudo isso porque a prefeitura alega não ter dinheiro, mas vemos o dinheiro sendo gasto na região central em locais desnecessários como a Praça da Matriz, Largo dos Mendes, asfalto na avenida Aracaí”, disse o morador na postagem.

Em contato com a prefeitura de São Roque, a mesma informou por meio de nota que há previsões para novas manutenções na Estrada do Morita. O órgão também informou que a coleta de lixo e o ônibus passam na rua principal (distante mais de três quilômetros de algumas casas localizadas na Estrada do Morita).

Já a CPFL informou que enviará equipes para realizar uma avaliação no local. “A CPFL Piratininga informa que as podas das árvores na Estrada do Morita, Sorocamirim, em São Roque, são de responsabilidade da Prefeitura de São Roque. Em alguns casos, quando a vegetação está oferecendo riscos de danos à rede elétrica e que, potencialmente, possam vir a comprometer a segurança da população e o fornecimento de energia elétrica, a distribuidora pode participar da execução desse serviço, desde que a pedido dos órgãos públicos. A companhia esclarece, no entanto, que enviará equipes para realizar uma avaliação no local”, informou a CPFL.

Em nota, a Polícia Militar nos informou que está atenta a qualquer sinal de problema e sempre reafirma o compromisso com o cidadão em servir e proteger a sociedade. “A Polícia Militar representada pelo 1º Ten PM Danillo Comandante Interino da 2ª Cia PM esclarece que não há índice criminal na Estrada do Morita. O único Boletim de Ocorrência registrado no referido local no ano corrente se referia a um desentendimento à respeito de animais de criação. Lembra ainda que o Programa Vizinhança Solidária implantado no bairro desde 2015 conta com 62 participantes moradores locais e que é de participação voluntária, podendo ser feita a qualquer momento, entrando em contato com a Policia Militar em São Roque. Também foi notada que não há reclamações nas reuniões de Conseg.

O Policiamento é feito com os seguintes Programas de Policiamento: Radio Patrulhamento, Policiamento Comunitário, Policiamento Integrado, ROCAM (Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas) e Força Tática. O que se deve salientar à população é a importância da comunicação dos crimes através da elaboração dos boletins de ocorrência, assim esses registros subsidiam o trabalho Policial Militar para desenvolvimento de ações específicas para a preservação da ordem pública”, disse a nota.

Melhorias à vista

Nesta semana o vereador Maurinho Góes anunciou o início das obras que resultarão na implantação da rede de água do bairro Cascavel. Também tem acompanhado algumas melhorias que vem acontecendo gradativamente em Canguera, como desassoreamento do rio, ações para evitar descarte incorreto de lixo, lâmpadas trocadas. Ele informou ainda que está em processo licitatório a aquisição de novos bicos de luz em alguns locais.