A pizza que custou um salário mínimo

Uma empresa começava a passar por dificuldades e entendeu que estava na hora de mudar o estilo de gestão. Para isso contratou um novo gerente geral que veio determinado a agitar as bases e tornar a empresa mais produtiva.

No primeiro dia, acompanhado dos diretores da empresa e mais seus principais assessores, programou uma inspeção geral.

No armazém todos estavam trabalhando tentando mostrar ao novo diretor que eram bons funcionários. Bem, nem todos, estava ali um rapaz com as mãos nos bolsos sem fazer nada e ainda encostado na parede.

Vendo uma boa oportunidade de demonstrar a sua filosofia de trabalho e como se deve agir com firmeza para alcançar um padrão excelente de gestão, o arrogante gerente se dirigiu à sua equipe da seguinte maneira.

–Olhem aquele rapaz preguiçoso sem fazer nada. Coisas assim, que parecem tão insignificantes é que dão grandes prejuízos a empresa. Parece que não representa nada para o caixa da companhia, mas, no final, é uma grande perda.
E digo mais, um funcionário sem produzir dentre os trabalhadores, pode incentivar outros a diminuir o ritmo, logo a empresa estará em dificuldades bem maiores.
Uma pessoa da equipe que o acompanhava tentou falar algo, mas o novo e eufórico gerente foi logo dizendo:

–Cale-se e aprenda rapaz, não diga nada do que não sabes. Observe quem conhece o que faz agir com sabedoria.

Aproximando-se do jovem perguntou:

— Quanto é que você ganha por mês meu jovem?

— Um salário mínimo, respondeu o jovem. Mas por quê? Acrescentou o rapaz!

O administrador tirou um pacote de dinheiro do bolso e o deu ao rapaz dizendo:

— Aqui está o seu salário deste mês. Agora desapareça e não volte aqui nunca mais!

O rapaz guardou o dinheiro e saiu conforme as ordens recebidas. E pasmem, saiu alegre e assoviando.

O gerente então, enchendo o peito de ar e todo orgulhoso pensando que tinha resolvido um grande problema para a empresa e ainda ensinado uma lição aos seus liderados, perguntou ao grupo de operários que trabalhava ali naquela seção:

— Algum de vocês sabe qual era a função desse sujeitinho preguiçoso aqui na empresa?

— Sim, senhor! Responderam atônitos os operários!. Como vamos fazer horas extras e o refeitório já fechou, encomendamos uma pizza para o lanche. O rapaz que o senhor deu um salário mínimo e mandou sumir, era o entregador e estava aguardando os quinze reais que o João foi buscar no armário. Moral da história: “Tem pessoas que desejam tanto mandar, que esquecem de pensar”.

Por falar nisso, esse gestor não lembra alguém que mora no palácio do Jaburu em Brasília?

Está cortando salário mínimo dos aposentados e doentes e liberando malas cheias de milhões a outros? Pense nisso!

“Tem pessoas que desejam tanto mandar, que esquecem de pensar”.

Texto: Bispo Cláudio Gonçalves