A Síndrome da Panela de Pressão


Quantas vezes você não tem essa verdadeira impressão? A de que vai explodir a qualquer momento? Isto é o que eu chamo de Síndrome da Panela de Pressão, quando você não consegue parar o turbilhão de pensamentos que, em geral, vêm como resultado de ansiedade e a expectativa de que algo vai acontecer, mas não sabe exatamente o quê. Uma angústia sem nome que não te deixa dormir, ou fazer o que tem de ser feito, porque não consegue dar foco ao que é importante.

E de onde vem tudo isto? Sem ter a presunção de adentrar aos níveis clínicos que requerem cuidados específicos de um profissional especializado, posso te dizer que a luz para iluminar esta angústia é aquela que provém da nossa fonte interna, já que o mundo do lado de fora mais se parece com um hospício que em um oásis de amor.

Infelizmente, a nossa mente dualista (claro – escuro; preto – branco) só é capaz de perceber os estímulos externos, recebidos a partir dos 5 sentidos.

Vivemos por referência! Eu só existo porque me vejo separado do mundo e, portanto, não sou responsável pelo que está fora de mim. E esta visão separatista é que perpetua a nossa irresponsabilidade pelo que vivemos.

Entender este conceito do que é real e do que é realidade é, de fato, muito difícil. Mas vamos fazer um exercício. Experimenta fazer de conta que você está fora do mundo, olhando para o planeta Terra. O que você vê? Uma bola de luz azulada no escuro do universo?

Portanto, já começo a questionar aí a questão da ilusão. Se você não estivesse lá para ver isso, o planeta existiria para você? E você consideraria todas as diversas espécies de vidas – aparentemente separadas – que vivem aqui? Ou seria tudo simplesmente um planeta azul?

Pois então, é isso! Não sabemos nada da vida e nem de nós, no entanto, atribuímos aos fatores do mundo um valor enorme e capaz de tirar o nosso centro de paz facilmente.

E se – agora vem outro desafio – você experimentasse criar na sua mente o mundo ideal que você deseja? E se você se colocasse como num auditório de cinema, olhando para esta tela, você seria capaz de projetar nela a solução que deseja para o que está te tirando a paz neste momento? Seria capaz de “inventar” o melhor cenário para que você ficasse em paz?

Se você conseguiu visualizar este simples exemplo que eu dei agora, você é capaz de qualquer outra criação, pois o mundo como vemos do lado de fora, não é nada mais nada menos que o mundo que projetamos da mente inconsciente com a qual vivemos neste corpo.

Agora, você já pensou como seria mais fácil a sua vida, se ao invés de você atribuir importância às diversas situações desagradáveis que lhe acontecem para que sua mente mais pareça uma panela de pressão, você simplesmente decidisse que isto não mais tiraria você do comando da sua paz interior? Como seria?

Pois é pra isto que pessoas engajadas no seu desenvolvimento espiritual buscam autoconhecimento. Para que tenham paz!
Nada do que vemos neste mundo, criado pela mente inconsciente, é real. São cenários feitos para tornar conscientes os padrões que nos mantém no piloto automático da vida e nos impedem de evoluir.

Se compreendermos que todos os nossos problemas, acontecem porque os criamos, e que tal como nossos pensamentos passam, eles também vão passar, nós poderíamos viver mais alegres com as coisas boas, pois do mesmo modo elas também passarão.
Portanto, se você deseja de verdade recobrar a sua paz interior, é pra lá que você tem que ir!

É da sua fonte de luz interna que você tirará a energia para iluminar as suas aflições de hoje, porque diferentemente do ego que só cria cenários de problemas, a sua mente sã – que te liga ao infinito – é a que te faz capaz de criar os cenários com as soluções que você precisa para crescer e ser mais feliz.

Fonte: Maria D’Arienzo – Astróloga e Master Coach