AgroNotícias por Mauricio Picazo Galhardo

AGRICULTURA FAMILIAR
No dia 24 de outubro, a CATI Regional Bauru fez a divulgação dos resultados dos testes das culturas de alho, batata e cebola como alternativas de cultivo para agricultura familiar. Os experimentos foram conduzidos ao longo de três anos, em diversas propriedades de municípios da região como Pederneiras, Lucianópolis e Iacanga. Também foram feitos experimentos em parceria com as Faculdades Integradas de Bauru (FIB) e com a Escola Técnica (Etec) Castor de Astor de Matos Carvalho, de Cabrália Paulista.

TURISMO RURAL
Reunião da Câmara Setorial de Lazer e Turismo Rural debateu o desenvolvimento da Plataforma de Turismo Rural e Gastronômico e as linhas de financiamentos disponíveis pelo Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (Feap). Na reunião foi apresentado o desenvolvimento da Plataforma de Turismo Rural e Gastronômico, que facilitará conhecer lugares e rotas de turismo rural pelo Estado de São Paulo.

CHUVAS E FINADOS
As chuvas e o feriado de Finados (2) prejudicam o avanço da colheita nos últimos dias, o que reduziu em 27,6% o volume de mandioca processada pela indústria de fécula entre 30 de outubro e 3 de novembro, totalizando 18,5 mil toneladas. Assim, a ociosidade industrial média da semana ficou em 73,6% da capacidade instalada, o que tem preocupado agentes de fecularias, que relatam aumentos consideráveis nos custos fixos.

BATATA
Na semana (30/10 a 03/11), o preço médio da batata padrão ágata especial teve um ligeiro aumento de 4,2% frente ao da semana passada, sendo comercializada a R$ 68,78/sc de 50 kg nos atacados paulistanos. Apesar das chuvas do último final de semana, a oferta seguiu em ritmo normal e, com isso, houve pouca variação nos preços – sendo que, apenas na segunda-feira, o patamar foi ligeiramente mais alto em relação ao restante da semana.

MAÇÃS
Também nesta semana, os preços das variedades fuji e gala ficaram estáveis na região de Fraiburgo (SC). Produtores optaram por manter os preços em função do mercado retraído, devido ao baixo poder aquisitivo dos consumidores. Assim, evitam a formação de estoques, que podem pressionar ainda mais as cotações das frutas. Nesta semana, os estoques de alguns produtores já aumentaram, o que pode resultar em queda dos preços na próxima.

MILHO
O forte ritmo das exportações, aliado à perspectiva de redução da área de milho verão, tem mantido vendedores retraídos, na expetativa de preços maiores nas próximas semanas. Por outro lado, compradores se mostram mais flexíveis nas negociações, com o objetivo de repor estoques. Neste cenário, o mercado brasileiro de milho continua em alta.

OVOS PARA A ÁFRICA DO SUL
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) recebeu, na manhã de segunda-feira (6), carta do Ministério da Agricultura, Floresta e Pesca da África do Sul (DAFF) informando que aquele país quer importar do Brasil ovos in natura (líquidos) e ovos processados (congelados). Carta recebida da África do Sul apresenta proposta dos Certificados Sanitários Internacionais (CSIs) para viabilizar as exportações brasileiras desses produtos. O Brasil já exporta ovos para mais de 50 países, com remessas equivalentes a US$ 110 milhões em 2016.

MERCOSUL UE
O Brasil tem atendido demandas dos europeus que facilitam o Acordo entre o Mercosul e a União Europeia, disse terça-feira (31), o ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) a parlamentares que recebeu em reunião, representando os dois blocos econômicos. O ministro, que solicitou aos europeus o atendimento de reivindicações apresentadas pelo Brasil. Ele lembrou que, após a visita que fez ao parlamento da UE, em janeiro deste ano, muitas reivindicações foram contempladas pelo governo brasileiro. Por exemplo, a liberação para a entrada de carne de coelho da Espanha, peras da Bélgica, produtos lácteos e carne suína dos Países Baixos e pescados de Portugal.
(Fontes: CATI, Secretaria da Agricultura e Abastecimento, Cepea/Esalq, Hfbrasil, MAPA)