AgroNotícias por Mauricio Picazo Galhardo

NOVO SECRETÁRIO. Em um primeiro encontro realizado em Campinas, o novo secretário de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira, reuniu dirigentes dos órgãos vinculados à pasta e funcionários da sede da CATI, da Coordenadoria de Defesa Agropecuária e da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) no auditório do Centro de Treinamento da CATI. O intuito foi dirimir dúvidas, responder aos questionamentos e dar um norte para os próximos anos.

CATI. A engenheira ambiental Juliana Cardoso é a primeira mulher a estar à frente da CATI e disse ter muito orgulho de ter a oportunidade de trabalhar em uma instituição que tem uma história de mais de 50 anos trabalhando em prol da agricultura paulista. A coordenadora tomou posse no dia 10 de janeiro, afirmando que seu trabalho será o de gestora, com o objetivo de levantar as prioridades, verificar o funcionamento de todas as unidades e planejar as ações de forma que a CATI atue integrada aos demais órgãos da Secretaria da Agricultura.

TANGERINA E TOMATE. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou os dados da inflação de 2018, e de acordo com o resultado, está dentro do esperado pelo mercado e cumpriu com folga a meta de inflação perseguida pelo Banco Central, ficando dentro do intervalo de tolerância previsto pelo sistema, que era entre 3% e 6%. A tangerina e o tomate foram os itens que mais subiram em 2018, segundo os dados de inflação divulados sexta-feira (11).

ORGÂNICOS. Treze dos 30 agricultores que integram o Programa Santa Clara Mais Saudável receberam dia (09/01) o documento que certifica as suas propriedades como de produção orgânica. O ato, acompanhado pelo prefeito de Santa Clara do Sul, Paulo Kohlrausch, pelo secretário de Infraestrutura Edson Mallmann, e por representantes da Emater/RS-Ascar e do Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia (Capa), foi realizado no auditório da Prefeitura.

ALTA. O índice que mede a variação dos preços recebidos pelos produtores paulistas (IqPR) registrou pequena alta de 0,07% em dezembro de 2018 na comparação com o mês anterior, informa o Instituto de Economia Agrícola (IEA), instituição de pesquisa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Os produtos que apresentaram as maiores elevações foram: feijão (43,23%), banana nanica (13,59%), batata (9,65%) e milho (4,87%).

REAJUSTE. Os preços de 17 produtos extrativos da biodiversidade da safra 2019 sofreram reajuste e foram publicados no Diário Oficial da União de quinta-feira, dia (10). Entre os produtos estão açaí, andiroba, babaçu, baru, borracha natural, buriti, cacau, carnaúba, cera, castanha-do-Brasil, juçara, macaúba, mangaba, murumuru, pequi, piaçava, pinhão e umbu. O governo federal concede subvenção econômica aos agricultores familiares extrativistas, que desenvolvem suas atividades de forma ambientalmente sustentável.

LIMA. A colheita de lima ácida tahiti está ganhando força no estado de São Paulo, cenário que pode pressionar os valores da fruta neste início de ano. Segundo colaboradores do Cepea, a disponibilidade da tahiti vinha crescendo no mercado paulista desde meados de dezembro e pode atingir o pico na segunda quinzena de janeiro. As atividades de campo devem seguir firmes em fevereiro, perdendo força em março.

CATHO. Um levantamento realizado pelo site de empregos Catho listou as 14 carreiras que estão em alta para o ano de 2019 e acabou relacionando duas profissões específicas do agronegócio nessa lista. De acordo com a empresa especializada em empregos, o levantamento foi feito de acordo com a análise da base de dados da empresa e também por meio de pesquisas. A primeira carreira ligada ao agronegócio listado pelo site da Catho é “Agricultor Urbano”.

CULTURA DO MÊS (JANEIRO). Abacaxi. O abacaxi é uma fruta rica em vitamina C e sais minerais como Cálcio, Ferro e Fósforo. A vitamina C é um remédio de choque contra o frio, cansaço, gripe e depressão. É necessária ao desenvolvimento de ossos e dentes, aumenta a resistência dos tecidos e dos vasos sanguíneos. O abacaxi facilita a digestão de produtos protéicos como carnes, peixes e aves, pela alta porcentagem de celulose.

(Texto(s): Agrolink, CATI, Emater/RS, Mapa, Cepea, Secretaria de Agricultura – SP)