AgroNotícias por Mauricio Picazo Galhardo

ARMAZENAGEM. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) realiza um estudo para definir a reestruturação de sua rede armazenadora. A ideia inicial prevê uma redução em 29% da quantidade de Unidades Armazenadoras (UAs), saindo de 92 para 65. O montante não se refere ao número de imóveis, uma vez que as UAs são formadas por diversos armazéns e estruturas administrativas. Atualmente, a Companhia possui 167 armazéns em operação e, com o plano, espera-se que haja uma queda de 39.

PROJETOS. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, esteve reunida com secretários para discutir os projetos estratégicos do ministério. Estão presentes secretários ou representantes das secretarias de Defesa Agropecuária; Política Agrícola; Comércio e Relações Internacionais; Agricultura Familiar e Cooperativismo; Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação; Assuntos Fundiários; Aquicultura e Pesca; além da diretoria do Serviço Florestal Brasileiro.

ESTIMATIVAS. O agro brasileiro deverá crescer acima da média mundial nos próximos dez anos, o que eleva a participação do País como o principal exportador global das carnes (bovina, frango e suína), milho e açúcar. Essa é uma das conclusões do Outlook Fiesp 2028 – Projeções para o Agronegócio Brasileiro, que reúne novas estimativas para o setor. A pesquisa foi elaborada pelo Departamento de Agronegócio (Deagro) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

MULHERES. Escolaridade foi o principal atributo a influenciar positivamente os rendimentos das mulheres que atuam no agronegócio. Este é um dos resultados apontados no terceiro e último volume do estudo “Mulheres no Agronegócio”, elaborado pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. De acordo com a pesquisa do Cepea, o aumento do nível de escolaridade das mulheres ocupadas no setor de 2004 a 2015 respondeu por cerca de 22% do aumento real observado nos rendimentos médios nesse mesmo período, que foi de 57%.

FEIRA. A Embrapa participa da primeira edição da ANUFOOD Brazil, uma feira de negócios exclusiva para o setor de alimentos e bebidas, de 12 a 14 de março, das 10h às 19h, no São Paulo Expo, em São Paulo. O evento segue o modelo da Anuga, a maior feira de alimentos do mundo, que acontece em Colônia, na Alemanha, e reúne cerca de sete mil expositores e 160 mil visitantes.

TRIGO. As importações brasileiras de trigo no primeiro bimestre de 2019 chegaram a 1,23 milhão de toneladas, um volume 13% superior a igual período de 2018. Apenas no mês de Janeiro de 2019 o Brasil importou nada menos de 620.414,24 toneladas, e em Fevereiro passado um pouco mais de 610 mil toneladas. “Os valores internos do cereal continuam firmes, apesar dos baixos volumes comercializados, com viés de alta, pela maior utilização do trigo importado a partir de agora”, explica a T&F Consultoria Agroeconômica.

OVOS. No dia 7, as expectativas de negócios mais volumosos pelo período do mês não se concretizaram e o mercado de ovos caminhou dentro de certa normalidade. Com isso, os preços se mantiveram inalterados nas mesmas bases dos nove dias anteriores: a caixa de ovos brancos sendo comercializada por valores entre R$70,00 a R$72,00 e a de ovos vermelhos entre R$82,00 a R$87,00.

CONSUMO. Alinhado à missão de contribuir para a evolução das áreas de alimentos, bebidas e embalagens em benefício do consumidor e da sociedade, o Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital) coordena dia 14, às 10h, o seminário gratuito “Alimentos 2030 – A mobilização do setor alimentício na promoção do consumo responsável”. O evento faz parte da programação da Anufood Brazil, inédita feira de negócios exclusiva de alimentos e bebidas, que ocorre de 12 a 14 de março no São Paulo Expo.

UNICA. A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), aprovou a nomeação de Evandro Gussi como seu diretor-presidente. Formado em Direito pela Faculdade Toledo de Presidente Prudente, Evandro Gussi é mestre e doutor em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e pela Universidade de São Paulo, respectivamente. “Queremos continuar a contribuir com o Brasil. Nosso propósito é garantir bases institucionais que tragam regras claras e previsíveis ao mercado nacional e internacional”, disse Gussi.

EDITOR. O jornalista Mauricio Picazo Galhardo tem 61 anos, é paulistano do bairro do Brás. Esteve por dois anos morando no exterior; na República Oriental do Uruguai, República do Paraguai e República Argentina. Em 2013 se interessou pelo setor do agronegócio, onde agora tem esta coluna semanal de noticias do agronegócio em geral. Também é o autor do quadrinho semanal Agro-Cartoon, publicada no site: www.agro-cartoons.blogspot.com.br.
(Texto(s): Conab, Mapa, Deagro/Fiesp/SNA, Cepea/Esalq, Embrapa, Agrolink, Avisite, Ital)