AgroNotícias por Mauricio Picazo Galhardo

ORGÂNICOS. O mercado brasileiro de orgânicos faturou no ano passado R$ 4 bilhões, resultado 20% maior do que o registrado em 2017, segundo o Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (Organis), que reúne cerca de 60 empresas do setor. Já o mercado global de orgânicos, sob a liderança dos Estados Unidos, Alemanha, França e China, movimentou o volume recorde de US$ 97 bilhões, em 2017. O balanço foi feito pela Federação Internacional de Movimentos da Agricultura Orgânica (Ifoam) e divulgado em fevereiro.

TUDO BEM. A ministra da Agricultura, reafirmou, em Campo Grande, ter esperança de que, após a inspeção dos americanos nos frigoríficos brasileiros, marcada para junho, tudo esteja nos conformes para que a gente volte a exportar carne in natura. Ela afirmou ainda que ‘ficará claro para os Estados Unidos que nós não temos problemas com a carne bovina. Primeiramente, eles precisam ver que nós não temos mais problemas com a vacina da aftosa, que provocou reações no rebanho. Depois, vão olhar as condições sanitárias que nós temos’, destacou.

CERRADO. O Ministério da Agricultura, lançou o Projeto Paisagens Rurais, de preservação do cerrado brasileiro, em evento com a participação do embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel, da diretora interina do Banco Mundial (Bird) no Brasil, Doina Petrescu, e do presidente da Confederação da Agricultura e da Pecuária do Brasil (CNA), João Martins. Com apoio do Bird e parceria com a Agência de Cooperação Técnica Alemã (GIZ), o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), por meio do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a Embrapa e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o Paisagens Rurais vai capacitar e prestar assistência técnica e gerencial a 4 mil produtores rurais de nove estados e do Distrito Federal.
AUTOCONTROLE. O Ministério da Agricultura, instalou o Comitê Permanente de Autocontrole. ‘Vamos escolher as cadeias e determinar os prazos, os protocolos serão elaborados e, depois que isso estiver pronto, temos de apresentar as nossas condições do autocontrole para os países que importam produtos brasileiros. Vamos dar todas as garantias em relação aos processos de fiscalização’ explicou a ministra da agricultura.

CRÉDITO RURAL. Faltando três meses para encerrar o Plano Agrícola e Pecuário 2018/2019, foram contratados R$ 110 bilhões em financiamentos de crédito rural entre julho de 2018 e março deste ano. O desembolso representa 6% a mais se comparado ao aplicado no mesmo período do Plano Safra 2017/2018. Já a agricultura familiar desembolsou R$ 18,8 bilhões no período.

CENSO DE AGRICULTURA. O Serviço Nacional de Estatísticas Agrícolas (NASS) do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USN) divulga os resultados do Censo Agropecuário de 2017 no dia, 11 de abril. O relatório completo do Censo incluirá milhões de pontos de dados, incluindo o número de fazendas, terrenos em fazendas, valor total de produção, dados demográficos e muito mais nos níveis nacional, estadual e municipal.

PARAGUAI. As exportações paraguaias de trigo aumentaram 632% até agora desde o início do período da colheita, informou o jornal paraguaio ABC, desde agosto do ano passado até fevereiro passado, de acordo com um relatório da Câmara dos Produtores e Exportadores de Cereais e Oleaginosas do Paraguai (Capeco). O Brasil foi o principal destino, com 91% dos embarques nesse período.

PESCADO. O secretário da Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Jorge Seif, contestou os dados do Guia de Consumo Responsável de Pescado Brasil, lançado pela seção brasileira do Fundo Mundial para a Natureza (WWF-Brasil). O documento destaca sobrepesca e falta de gestão pesqueira como alguns dos principais problemas da atividade desenvolvida no país.
DESCONTO. Os descontos na energia elétrica rural voltaram. Decreto publicado no Diário Oficial da União dispõe sobre a cumulatividade dos subsídios concedidos à atividade de irrigação e aquicultura e à classe rural. O retorno do benefício, que havia sido suspenso pelo governo Temer no fim de 2018, vinha sendo reivindicado pelas entidades representativas do setor agrícola, como a ABRALEITE (Associação Brasileira dos Produtores de Leite).
(Email: [email protected])