AgroNotícias por Mauricio Picazo Galhardo

TELEFONIA RURAL. A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara aprovou, o PL 9039/2017, do deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS). O projeto altera a Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997, a Lei Geral de Telecomunicações, para priorizar a cobertura de telefonia móvel nas áreas rurais. De acordo com o autor da proposta, a cobertura de telefonia celular ainda é um desafio no Brasil porque a abrangência do sinal determinada pela lei não contempla as áreas rurais. 

ALFACE CRESPA. Para vencer a barreira do clima e facilitar a produção de alface nas regiões mais quentes do Brasil, pesquisadores da Embrapa Hortaliças (DF) desenvolveram duas novas variedades de alface crespa de folhas verdes que apresentam tolerância ao calor e ampla adaptação às condições tropicais, independentemente do sistema de produção, seja campo aberto, hidroponia ou cultivo protegido.
CONTROLE. O uso de biodefensivos agrícolas como estratégia de controle biológico de pragas e doenças tem potencial de crescimento anual de 20%, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico (ABCBio). Esses dados mostram que de 2017 para 2018 a indústria brasileira registrou 77% de expansão na comercialização dos insumos biológicos. O volume de vendas saltou de R$ 262,4 milhões para R$ 464,5 milhões.
GARANTIA. O relatório do deputado Rogério Peninha Mendonça (MDB-SC), do projeto de lei 7361/2014, foi aprovado, pela Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados. A proposta, de autoria do presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Alceu Moreira (MDB-RS), permite que imóveis rurais em áreas de fronteiras possam ser utilizados como garantia em financiamentos bancários.
VISITA. Para conhecer a rotina laboratorial e de pesquisa em avicultura de postura, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo recebeu alunos do Instituto Federal Goiano – Campus CERES Goiás e o representante da Granja Bandeirantes no Laboratório Avançado de Aves e Ovos do Instituto de Zootecnia (IZ/Apta). 
ACORDO. O Ministério da Agricultura e o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) lançaram, no dia (15), a Câmara do Agro 4.0. Resultado de um acordo de cooperação técnica entre as duas pastas, a iniciativa visa ampliar a conectividade no campo e estabelecer ações para que o Brasil seja um exportador de soluções de internet das coisas com aplicação no agronegócio.
TELETRABALHO. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) está ampliando o sistema de teletrabalho para permitir que servidores de algumas áreas possam executar suas tarefas fora do ambiente de trabalho. A modalidade foi implantada pela primeira vez este ano na Secretaria de Defesa Agropecuária e neste semestre está sendo desenvolvida pela equipe da Corregedoria-Geral do Ministério.
MILHO.  No correr deste ano, os preços do frango vivo, do milho e do farelo de soja têm favorecido o poder de compra do avicultor paulista se comparado ao cenário verificado em 2018, de acordo com levantamento do Cepea. De julho para agosto, especificamente, a quantidade de milho que o produtor consegue comprar aumentou; quanto ao farelo de soja, a relação permaneceu estável. Segundo a Equipe de Grãos/Cepea, a colheita da segunda safra do cereal e, consequentemente, a maior disponibilidade do produto no Brasil têm pressionado as cotações do milho.
MÉXICO. O portal Agrolink, publicou que a Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES) do México adverte que 40% dos polinizadores invertebrados, particularmente abelhas e borboletas, enfrentam a extinção. Neste cenário, empreendedores mexicanos lançaram startups que, além de atuar como empresa, são social e ambientalmente responsáveis, especialmente quando se trata de apoiar apicultores locais e salvar abelhas. 
MEL. No México existem 1,9 milhão de colmeias da abelha comum, responsáveis por 42 mil apicultores que, em média, produzem 55.900 toneladas de mel com um valor estimado de 1.900 milhões de pesos por ano, segundo dados do Serviço de Informação Agroalimentar e de Pesca (SIAP). Graças a isso, o México é o terceiro maior exportador mundial de mel, embora seu consumo anual por habitante seja de apenas 200 gramas. 

Email: [email protected]