Buracos espalhados em estrada que liga Votorantim a Ibiúna colocam vida de motoristas em risco

(Foto: Julio Leite)

A estrada vicinal, que passa pela Represa de Itupararanga, tem buracos, mato e quase nenhum espaço para acostamento. Em alguns trechos, os ciclistas precisam passar no meio da estrada.

Um dos buracos está tão fundo que chegou até uma nascente. A água está saindo dia e noite pelo asfalto destruído pelas rodas dos carros e caminhões que passam todos os dias pelo local. A cratera é enorme e ocupa praticamente um lado inteiro da pista.

Sem saída, o motorista é obrigado a invadir a mão contrária, o que aumenta muito o risco de acidentes.

A estrada é passagem obrigatória para quem mora e trabalha na região, mas, sem manutenção, passar pelo local é um risco muito grande.

“É perigoso a gente cair aqui de tanto buraco que tem. Em alguns trechos, a gente tem que entrar na contramão devido aos buracos. É bem perigoso”, conta Milton Ferrari Filho, arte finalista.

Foi nesta estrada que cinco pessoas ficaram feridas em um acidente no dia 6 de março. Dois carros bateram de frente.

De Votorantim até a barragem na Represa de Itupararanga são nove quilômetros e boa parte da estrada está em situação precária com mato crescendo nas margens e buracos que obrigam o motorista a fazer “zigue-zague” na pista.

“Você anda mais na contramão do que na mão certa. Eu já passei de moto e quase caí, isso a 20 quilômetros por hora”, conta Bruno Lucchesi, laboratorista.

A Prefeitura de Votorantim informou que deve fazer a manutenção na estrada nos próximos dias e que só está esperando a massa asfáltica, que é fornecida por uma empresa que acabou paralisando a usina de produção para fazer uma manutenção.

Matéria: G1