CIDADE INTELIGENTE por Mauricio Picazo Galhardo

Então olhei para os céus e ví a Cidade…
– Quero saber apresenta:

” … o secretário de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Orlando Leite Ribeiro, participa até o dia 11, em Tóquio, no Japão, do Encontro dos vice-ministros da Agricultura do G20. Ele terá reuniões bilaterais com autoridade locais. No encontro, será discutida minuta da declaração a ser assinada pela ministra Tereza Cristina, durante a reunião ministerial, que acontecerá nos dias 11 e 12 de maio na cidade japonesa de NIIGATA. O Encontro dos Ministros da Agricultura terá como tema principal “Rumo a um setor agroalimentar sustentável – questões emergentes e boas práticas”. O modelo da agricultura brasileira é pautado no tripé da segurança alimentar, sustentabilidade e responsabilidade social.
O G20 é o foro para cooperação internacional em temas econômicos e financeiros, congregando países desenvolvidos e em desenvolvimento com projeção na economia mundial. Os países que integram o G20 representam 90% do PIB mundial, 80% do comércio internacional, dois terços da população mundial, sendo responsáveis por 84% da emissão de gases de efeito estufa. A Reunião do G-20 será de 28 e 29 de Junho em Osaka no Japão…”

* É muito importante as Reuniões do G-20?
* Esta reunião dos ministros da agricultura também é importante?
* Manter os clientes é melhor do que novas aventuras?

Sobre o Brasil, em relação do comércio mundial, é preciso dizer o seguinte: é muito importante, manter os clientes com excelente atendimento e cumprimento de contratos, do que lutar para conseguir novos. Tem um ditado que diz que é melhor lutar pelo que temos, do que por aquilo que não temos. O agronegócio brasileiro tem clientes em 160 países. Isso é muito bom, mas mais importante que seja mantido. Quando atendemos bem e dentro da lei, nós certamente conseguimos manter mas, se deixamos de atender bem um cliente que nós já temos, ele certamente vai procurar outro que poderá atender melhor. Então qual é o segredo. É simples, é atender bem mesmo e, vender como se fosse nós que estivessemos comprando. Nós temos que atender nossos clientes da mesma maneira que nós gostaríamos de ser atendidos por eles. No mercado agrícola e pecuário mundial existem 170 países, mas os compradores pontenciais de grande volume, são poucos. Portanto aqui dentro é preciso ter regras muito claras, ajustes e atualizações. Não é possível leis que não funcionam formuladas na década de 40 no século passado. Na União Européia por exemplo, eles primam por leis práticas e que funcionem à todo momento e, em qualquer circunstância. O Brasil precisa se readaptar e se atualizar. É preciso trabalhar nisto e não desperdiçar tempo, dinheiro e energia com coisas que não interessam mais.

Por hoje é só pessoal. Até o próximo sábado com a palavra Cidade Inteligente. Um forte abraço à todos meus amigos leitores.