“De nada valem ideias sem homens que possam pô-las em prática” (Karl Marx)


Bart. Não sei por que do apelido, mas era assim que ele era conhecido na adolescência. Estou falando do músico André Gagliard, hoje formado pelo conservatório de Tatuí, entre outros cursos. É proprietário do Conservatório Orpheus na cidade de São Paulo. Mas ele é gente da nossa gente. Ele sempre foi um artista nato.

Desde cedo começou estudar teclado e participar de diversos projetos culturais como coral e a produção do Auto de Páscoa. O André tem duas características interessantes e que fazem falta para muita gente: persistência e bom humor. Poucas vezes eu o vi desistir de alguma coisa ou tratar com raiva algum assunto. Por mais difícil que seja, no fim sempre sobra uma risada e tudo volta ao normal. Acho que se ele não fosse assim não estaria em outra cidade fazendo sua arte.

Ah, claro. No caso dele, para completar este quadro, ainda se casou com a jovem Karen, que também é musicista e que juntos formaram a dupla mulher maravilha e homem de ferro da música. Parceiros de vida e de arte. Sorte grande, hein carinha? Não importa se ele escolheu caminhos fora da nossa cidade, foi aqui que tudo começou. Essa é a vida. Feito um novelo de lã sempre terá a primeira ponta que é o início de tudo. Orgulho de você, Bart!

Rogério Alves – maestro e produtor cultural