Democracia ou ditadura disfarçada?

A palavra democracia tem origem no grego demokratía que é composta por demos (que significa povo) e kratos (que significa poder). Neste sistema político, o poder é exercido pelo povo através do sufrágio universal.

É um regime de governo em que todas as importantes decisões políticas estão com o povo, que elegem seus representantes por meio do voto. É um regime de governo que pode existir no sistema presidencialista, onde o presidente é o maior representante do povo, ou no sistema parlamentarista, onde existe o presidente eleito pelo povo e o primeiro ministro que toma as principais decisões políticas.

Democracia é um regime de governo que pode existir também no sistema republicano, ou no sistema monárquico, onde há a indicação do primeiro ministro que realmente governa. A democracia tem princípios que protegem a liberdade humana e baseia-se no governo da maioria, associado aos direitos individuais e das minorias.

Uma das principais funções da democracia é a proteção dos direitos humanos fundamentais, como as liberdades de expressão, de religião, a proteção legal, e as oportunidades de participação na vida política, econômica, e cultural da sociedade. O povo tem os direitos expressos e os deveres de participar no sistema político que vai proteger seus direitos e sua liberdade.

Muito bem, se no Brasil o regime democrático realmente fosse exercido, o povo se manifestaria ordeiramente, sem prejudicar os outros com suas manifestações e seria ouvido pelo governo que discutiria o assunto, e assim a vontade do povo depois de ponderar prós e os contras, seria acatada. Ou seja, em Democracia, a maioria (povo) sempre vence.

Passamos por esses dias por uma greve de caminhoneiros que em seus direitos democráticos exigiam que essa escada sem fim dos aumentos dos combustíveis fosse interrompida. Inclusive do óleo diesel, que é o combustível usado pela classe, baixasse nas bombas. Essa manifestação durou dez dias e mexeu com todos os brasileiros desde o mais abastado até o mais necessitado neste país de egoístas. Num regime democrático de verdade, os grevistas seriam ouvidos logo no início da paralisação, ou será que o governo não sabia das consequências que viriam com o movimento mais duradouro? Acho que não!

Por falar em governo, este fez umas lambanças sem tamanho. Prometeu baixar, voltou atrás, responsabilizou o presidente da Petrobrás, o que causou a demissão do mesmo. Enquanto isso se ouvia dizer que não tinha mais remédios nos hospitais, comerciantes aproveitando o caos para explorarem o povo com aumentos muito fora da realidade, e as brigas dos proprietários de veículos nos postos de combustíveis parecendo chacais pela carniça. Num regime democrático de verdade, não se fecharia rodovias, não seria preciso faltar insumos para o povo, apenas uma reunião entre o poder (povo) e seu maior representante eleito, para ponderar sobre o assunto. Mas infelizmente, o Sr. Michel Temer, (assim como outros que o antecederam) só ouvem o povo se este se manifestar causando problemas para o país. Concluo que os direitos democráticos do povo brasileiro só são conquistados a base da força e causando problemas para a nação. E a culpa é só dos governos egoístas e corruptos que temos. Isso é lamentável.

 

Abraços do Bispo Cláudio Gonçalves