Viver fora: o que Portugal tem, e não tem a oferecer

A vida inteira ouvi que morar no exterior é muito bom, que tudo que vem de fora é melhor. Daí nossa aventura (eu, meu marido e dois filhos) há 20 anos. Viemos para Portugal ficar pouco tempo, mas cá estamos até hoje.
Concordo que viver fora é uma experiência única, mas devemos ponderar as vantagens e desvantagens tendo em conta o nosso objetivo.

Há muitos pontos a abordar como o sistema de ensino, de saúde, a cultura, os impostos que assustam, etc.
Tenho percebido que o brasileiro tem uma ideia errada da vida em Portugal. Assisti um vídeo de uma atriz famosa falando sobre as suas expectativas de viver em Portugal e posso enumerar as situações em que ela coloca algumas vantagens, que a meu ver, não são bem assim. Vendo do Brasil, parecem ótimas vantagens, mas quando se está aqui, a perspectiva muda. Exemplo: as escolas do Estado são ótimas comparadas às do Brasil, mas as escolas particulares (raras) preparam muito melhor, pois são mais voltadas para a realidade europeia, em compensação são muito caras. Quem tem filhos em escolas particulares no Brasil, sentirá a diferença nas públicas aqui. A comida orgânica também é cara e rara.

Engana-se quem acha que não há discriminação. O português é um povo simpático, educado, mas há muita discriminação. Por outro lado, dois pontos fortes são o sossego e a segurança.

Nas próximas semanas vou compartilhar aqui no Jornal O Democrata um pouco de tantas experiências que já vivi e ainda vivo. Espero que gostem, até a próxima!

Célia Zumckeller Camargo