Ipê amarelo: árvore símbolo de São Roque

Na última segunda-feira, a Câmara Municipal de São Roque aprovou o projeto de lei nº 57/2017, de autoria do vereador Niltinho Bastos, que institui o ipê amarelo como árvore símbolo da Estância Turística de São Roque.

A exposição de motivos ao projeto de lei relata que a iniciativa do vereador foi inspirada na crônica “São Roque dourada de ipês”, publicada na coluna “São-roquices”, de 15 de setembro passado, em que, mais uma vez maravilhada com a floração amarela que coloria a cidade e com a reação de embevecimento e ternura dos são-roquenses diante de cada ipê que explodia em ouro aqui, ali e acolá, procurei chamar a atenção das autoridades sobre a importância de se incentivar o plantio e o cultivo adequados de ipês amarelos e de despertar na população um carinho ainda maior por essa espécie e o desejo de tê-la em seus quintais, em seus jardins e em sua cidade.

Por fim, como disse naquela crônica, essas ideias foram semeadas com a intenção de que a cidade fique tão dourada que o ipê passe a ser sua árvore símbolo e, logo mais, São Roque terá tudo para tornar-se a capital paulista dos ipês.

As ideias semeadas na coluna “São-roquices” caíram em terreno fértil, o coração do amigo vereador Niltinho Bastos que, gentil e generosamente, colheu e acolheu cada uma das propostas elaboradas em torno da instituição do ipê amarelo como árvore símbolo de São Roque para transformá-las em lei.

Além de fazer do ipê amarelo a árvore símbolo de São Roque, o projeto de lei autoriza o poder público municipal a promover campanhas de incentivo ao cultivo da espécie e de distribuição de mudas à população e dispõe sobre o plantio de ipês amarelos em todas as repartições, escolas e vias públicas do Município, a concessão de incentivos fiscais a pessoas físicas e jurídicas que cultivem a árvore em suas residências, empresas e passeios públicos e a realização de concursos que premiem os mais belos e viçosos ipês amarelos cultivados e as mais bonitas fotografias que os retratem.

Também a partir das sugestões elencadas pela coluna “São-roquices”, o projeto de lei trata da promoção do “Festival dos Ipês”, com uma programação voltada à visitação aos locais em que as floradas estiverem mais expressivas, atividades culturais, educativas, ecológicas e gastronômicas.

Por fim, o projeto de lei estabelece que o Município poderá celebrar convênios e parcerias com a União, Estados, entidades da sociedade civil e pessoas jurídicas de direito público e privado, com vistas à realização de todos os objetivos que traça.

Elaborado de maneira impecável pelo diretor técnico da Câmara Municipal, o amigo Luciano do Espírito Santo, e aprovado por treze vereadores, o projeto de lei, que conta com a crônica “São Roque dourada de ipê” transcrita na íntegra em sua exposição de motivos, será submetido ao prefeito Claudio Góes, de quem é esperada a sanção.

“Estou muito feliz e honrado em apresentar esse projeto de lei, mas, “a César o que é de Cesar”, pois numa das “São-roquices”, minha coluna preferida no jornal “O Democrata”, a Simone retrata o ipê amarelo e faz menção à presença do ipê em diversas situações e espaços importantes. Quanta ideia maravilhosa no texto da Simone Judica! Sorte que li bem cedo esse jornal. Posteriormente a mim outros vereadores também quiseram protocolar esse projeto e deixei todos à vontade para que o assinassem comigo. O projeto é de autoria do vereador Niltinho, foi elaborado de forma muito bacana pelo Luciano, mas o mérito desse projeto eu dou totalmente a você, Simone, pois você criou isso e eu fui apenas um instrumento para tornar lei essas ideias e me sinto muito importante por isso”, declarou da tribuna o vereador Niltinho Bastos, durante a votação do projeto de lei que torna o ipê amarelo a árvore símbolo da Estância Turística de São Roque.

Honradíssima sinto-me eu por ver uma de minhas crônicas sair das páginas do jornal e transformar-se em uma lei cujo propósito é o mesmo que norteia a coluna “São-roquices”, ou seja, valorizar São Roque, suas tradições e sua gente e contribuir não somente para o embelezamento desta terra, mas para que a cidade e a população venham auferir mais lucro e prestígio ao terem, num futuro próximo, o seu “Festival dos Ipês” como mais uma atração turística, tal qual o “Festival das Cerejeiras Bunkyos”, realizado todos os anos, no inverno, no Bairro do Carmo.

Ao vereador Newton Dias Bastos, o amigo Niltinho, meus agradecimentos por fazer da coluna “São Roque dourada de ipês” um projeto de lei e, sobretudo, pela maneira delicada e carinhosa com que tratou o tema e conduziu todo o seu processo de elaboração e votação.

Vencidas as etapas formais, é hora de partir para a prática: dourar São Roque de ipês!

Simone Judica é advogada, jornalista e colunista de O Democrata ([email protected])

Texto: Simone Judica