Maltratando os animais


O recente episódio ocorrido na loja Carrefour de Osasco na grande São Paulo, onde um cachorro foi morto a pauladas por um segurança daquela unidade, trouxe de volta esse tema tão desagradável.

O mau trato aos animais ocorre de diversas formas, e a nossa civilização, a despeito do seu avanço tecnológico, ainda se encontra na idade das pedras no que se refere ao respeito pela vida desses seres chamados de inferiores.

A quase totalidade da população mundial ainda é carnívora, o que a coloca no mesmo patamar dos animais irracionais, que lutam pela sobrevivência devorando os mais fracos e indefesos. Nesse processo, a vida, que é a responsável pela energia criada para o desenvolvimento da carne, que, quando consumida, transfere ao glutão suas qualidades para mantê-lo vivo, é esvaída, talvez de forma indevida.

O homem manipula os espécimes que se tornaram seus escravos, fazendo com que se reproduzam em ritmo antinatural para atender suas necessidades, e nesse processo, acaba por causar sofrimentos criminosos a esses seres que se tornaram suas vítimas. Fala-se muito em paz, mas como atingi-la se vivemos em meio a uma carnificina desenfreada na qual apenas nossas satisfações são contempladas?

Elefantes são sacrificados cruelmente, para terem suas presas retiradas para abastecer um mercado luxuoso e indecente, outros bichos são mortos para serem retiradas das suas entranhas, as glândulas que dizem serem afrodisíacas, outros são sacrificados para cederem suas peles e sua carne. No comércio de peles, um dos mais indecentes, a população mundial está tomando consciência da barbaridade de seus gostos, se recusando a comprar vestuários que contenham pele natural, o que é um avanço de consciência e de respeito à vida animal.

Para termos uma pequena noção da crueldade a que são submetidos esses pobres seres, que são esfolados para satisfazerem gostos duvidosos, na China, uma grande produtora de peles para essa finalidade, o produto é retirado do bicho ainda vivo, pois faz parte do processo para manter a qualidade desejada. Quem já teve a infelicidade de assistir um vídeo mostrando como isso é feito, pode entender por que está havendo tantos movimentos no mundo da moda, em seus diversos níveis, para mudar a preferência dos consumidores para as peles artificiais.

As aves também não tem sossego. Muitas são abatidas para terem suas penas retiradas, isso quando não são capturadas para se tornarem prisioneiras pelo resto da vida, sem terem cometido nenhum crime contra os homens.

É um anacronismo nos colocarmos na condição de seres altamente desenvolvidos e com os “pés nas estrelas”, sendo que nos comportamos ainda como homens das cavernas.

Disney Medeiros Raposo