Mudando as realidades dos fatos

Estamos acompanhando diversos dilemas no nosso dia a dia, sendo que alguns deles nos afetam diretamente, outros nada tem a ver conosco. Um deles é a questão do Brexit, que se refere à saída da Inglaterra da União Européia, tendo a primeira-ministra Theresa May como sua idealizadora. O assunto é muito complicado, pois envolve interesses de múltiplos lados, com diversos argumentos, sendo eles pró, e contra a separação do Reino Unido da referida comunidade. Para aqueles que defendem a soberania absoluta da Inglaterra, o caminho certo é a saída, já para os que dão mais valor à interação econômica com alto giro comercial, a separação se constitui em um grande desastre. Há muito jogo de opiniões no cenário.

Há também o problema da Venezuela, que nos afeta de diversas formas. Estamos recebendo seus refugiados, os quais vem em busca de alimentos, moradias e empregos. A cidade fronteiriça de Pacaraima que se beneficiava com os movimentos comerciais entre os dois povos está à beira de um colapso, pois quem antes vinha para comprar trazendo dinheiro, hoje vem em busca de sobrevivência. A presença estrangeira que antes era lucrativa para a cidade, hoje se constitui em grave problema, uma vez que, os recursos municipais, suficientes para atender sua população, agora são partilhados para socorrer os refugiados.

O país vizinho está passando por um grande apagão, e em decorrência disso, muitas pessoas estão morrendo em hospitais devido à inoperância de equipamentos que lhes dão a sustentabilidade de vida. Maduro, o ditador criminoso, não “larga o osso”, e prefere ver seu povo morrer de fome e por falta de assistência médica, a abrir mão do poder e das mordomias governamentais. Acusa a oposição, os Norte Americanos, e as forças contrárias pelo caos existente, mas nunca assume a responsabilidade pela situação atual.

No Brasil, temos parte da população lutando para ter de volta uma nação digna, respeitada, e próspera, e a outra porção lutando para derrubar o governo, não se importando com o desastre total que isso acarretaria. São loucos que fazem uma fogueira no piso de um barco de madeira, não se dando conta que o fogo vai se alastrar e afundar a embarcação com todos dentro. São muitos veículos de divulgação disseminando notícias falsas e modificando as palavras do presidente, com o intuito de lhe tirar a credibilidade. Qual é o limite para tudo isso? Os esquerdistas perderam a vaga que ocupavam e deveriam se conformar com isso, pois foi a vontade popular que os tirou do poder. Se fossem patriotas, estariam juntando forças para o bem da nação e prosperidade do seu povo, mas não, preferem que tudo se acabe para saciar o desejo de vingança.