O governo e a falta de decência

Como confiar em um país onde não existe moralidade administrativa, as regras são desrespeitadas, e as leis manipuladas para servirem a interesses diversos? O Brasil – o país do futuro – não pode ser levado a sério, pelo menos enquanto estiver nas mãos desses que o afundaram. Em nações evoluídas, como por exemplo, o Japão, uma pessoa que é pega em alguma situação condenatória, vem a público se desculpar e pedir demissão do cargo que ocupa, para não comprometer o lugar a que pertence, e ao qual não fez jus à confiança que lhe foi depositada. Recentemente, um acusado de crimes de guerra, afirmando ser inocente, pôs fim à própria vida perante a corte que o condenava, ingerindo um veneno fatal. Nos anais da história, encontramos diversos casos de pessoas que preferiram a morte a enfrentar a desonra, é como pensam muitos que conduziram suas vidas, dentro dos mais altos conceitos éticos.

Na maioria das nações desenvolvidas, para alguém ocupar um cargo público, precisa possuir uma ficha absolutamente limpa, e reputação impecável. É o mínimo exigido de alguém que vai responder por algum cargo de interesse comunitário. Por lá, ao menor sinal de irregularidade, o povo toma as providências e exige a saída do indivíduo da função, isso se o próprio sistema não o fizer automaticamente.

No Brasil, a situação é vergonhosa. A indecência, tal como um tumor maligno, se apoderou de toda a máquina governamental, assim como de grande parte do mundo artístico cultural e empresarial. Na televisão, com sua grade variada de programas, para cada apresentação de bom nível que vai ao ar, outras de teor degradantes são veiculadas em oposição a ela.

O presidente Temer insiste em se cercar de pessoas que estão com problemas na justiça, tais como processos na Lava Jato e em outras instâncias jurídicas, e até mesmo gente respondendo a ações trabalhistas, como no caso de Cristiane Brasil, que apesar das reclamações a que responde, estava para assumir o Ministério do Trabalho. Como pode alguém que não cumpre as leis com seus empregados, ser incumbido para proteger os direitos dos trabalhadores?

Em Minas Gerais, uma pessoa que está com sua habilitação de motorista suspensa por excesso de pontos foi indicada para ser o diretor do departamento de trânsito. Criminosos condenados a décadas de prisão são beneficiados por indultos inexplicáveis, Câmara dos deputados, Senado e Supremo Tribunal Federal, medem forças entre si, Lula, apesar de todos os crimes que lhe são atribuídos, pode ser beneficiado com “perdões” e continuar a concorrer à presidência.

Como conviver com tudo isso?

Texto: Disney Medeiros Raposo