O que precisa mudar?

As discussões sobre o transporte público local sempre vão e voltam com certa frequência. Mesmo após o termo de ajuste de conduta feito entre a prefeitura e a Viação São Roque, que previa, além das melhorias na frota (item cumprido), a população continua relatando problemas quanto aos horários das linhas, entre outros problemas.

Na última semana um motorista se recusou a sair da rodoviária alegando que não daria para passar em um dos trechos de sua linha devido à chuva que caía no momento. A indignação dos usuários foi parar nas redes sociais, e então mais manifestos surgiram quanto à situação do transporte público na cidade. Todos se perguntando os reais motivos da empresa ainda estar em operação na cidade, enquanto o usuário nunca sabe o que esperar no dia em que precisa usar o ônibus.

O direito de ir e vir é constitucional e o transporte deve ser encarado pelas administrações como prioridade. Este deve ser um serviço de extrema excelência, para que todos tenham acesso ao seu destino com qualidade e pontualidade. Na capital japonesa, por exemplo, funciona o mais complexo e completo sistema de transporte do mundo. Tóquio tem metrô, VLT (bondes), trens urbanos, ônibus e balsas que fazem milhares de viagens diárias. Assim como Londres, Paris, Moscou e Nova York. Modelos de transporte que deveriam servir como inspiração para as grandes e pequenas cidades.

É claro que é inegável a maior disponibilidade de recurso financeiro e a organização de tais cidades citadas, mas com uma boa administração e a real vontade de atender aqueles que usam o transporte, seja para mil ou 10 milhões de pessoas, é possível sim oferecer qualidade. Em São Roque quem depende do transporte público para trabalhar, estudar ou passear tem mesmo que se programar e contar com “inesperado”, até mesmo quando o sol der lugar à chuva.