O verdadeiro valor

A semana foi marcada por muitas comemorações e homenagens aos professores, que tiveram seu dia celebrado no último dia 15. São muitos os profissionais que continuam lutando com poucos recursos, remuneração, e diversos problemas, para salvarem a educação.

O professor, que deveria ser o profissional mais reconhecido do mundo, por formar e ensinar todos os outros profissionais que construirão o futuro, continua “remando contra a maré”, e além de enfrentar dificuldades com seus baixos salários e pouca infraestrutura, precisa se “defender” de ataques físicos e verbais de seus próprios alunos. A figura do professor, antes tão respeitada quanto à dos próprios pais, hoje mal consegue o mínimo de atenção e educação que deveria vir de casa.

As ofensas, agressões, violência e a impetuosidade de crianças e adolescentes têm passado dos limites. E não cabe ao professor promover a “educação básica”, como o obrigado, o por favor, o respeito ao próximo. Ao professor cabe outro tipo de educação. Por isso, esse é um trabalho conjunto de toda a sociedade. Criar cidadãos de bem, para que não “descontem” no professor suas frustrações e medos. Professores merecem muito mais que medalhas, honras, prêmios. Eles são os verdadeiros guerreiros na luta por um futuro melhor.

Professores constroem histórias. Salvam crianças da criminalidade. Vão muito além do que os cadernos e livros poderiam contar. Heley de Abreu Silva Batista é o nome que marcou para sempre a tragédia em Minas Gerais na última semana e comoveu o Brasil. A professora de 43 anos, salvou ao menos 25 crianças do incêndio criminoso que vitimou outras nove crianças entre 4 e 5 anos. Ela perdeu a própria vida para salvar tantos pequenos inocentes. Nos deu uma lição de amor, fé e esperança na humanidade. A professora, mãe de 3 filhos, amiga, mulher, filha, lutou com todas as forças. Ela representa o amor. E que a violência dê lugar à paz. Professores, muitos ainda reconhecem seu verdadeiro valor. Não desistam nunca.