Mãe é flagrada apanhando com filha em rua de São Roque


A mulher que foi agredida junto com a filha na tarde desta sexta-feira (13) , em São Roque, relatou que já havia sido agredida no mesmo dia por duas adolescentes. A agressão registrada por câmera de segurança ocorreu no momento em que ela estava indo à delegacia registrar o boletim de ocorrência sobre o primeiro ataque. Ela foi abordada pelo pai das jovens e novamente por uma das adolescentes.

Câmeras de segurança registraram quando a mulher andava com a filha adolescente em uma rua e um homem se aproxima. Ele partiu em direção a mulher e começou a agredi-la com socos. A filha tentou proteger a mãe, mas neste momento outra pessoa, que segundo o boletim de ocorrência seria filha do homem, se aproximou e também começou a cometer as agressões. Por outro ângulo é possível ver que surge outra menina, ela vai em direção às vítimas e para.

I.M.S contou que a primeira confusão ocorreu quando estava saindo para o trabalho e as duas jovens apareceram em frente à casa dela. “Elas jogaram a sombrinha em cima de mim. Aí eu falei ‘dá o telefone da sua mãe que eu vou ligar pra conversar com ela’. Daí elas começaram a me xingar”.

A vítima contou que resolveu ir para a delegacia e registrar um boletim de ocorrência. Foi nesse momento que ela encontrou novamente a família, desta vez com o pai que começou a bater nela.

“Ele já veio por trás de mim me dando soco. Me pegou pelas costas, me deu um soco na cabeça e eu fiquei meio zonza e cai”, relata a vítima.

A mulher contou que a filha já discutiu com as outras meninas na escola, mas não sabe o motivo da agressão. Mãe e filha disseram que ainda estão assustadas com a violência. Irene ficou com vários hematomas pelo corpo.

As vítimas registraram boletim de ocorrência por lesão corporal. O homem e as meninas que aparecem as imagens prestaram depoimento e ele assinou um termo circunstanciado por lesão corporal e foi liberado.

A Polícia Civil aguarda o laudo do Instituto Médico Legal (IML), do exame de corpo de delito, que deve sair em dez dias.

A vítima tem um prazo de seis meses para oferecer denúncia contra o agressor.

Fonte: G1