Qual o tamanho da sua bagagem?

A vida é uma jornada de muitos passos. O que levamos conosco pode acelerar, atrasar ou trancar a nossa evolução.
Você já parou para pensar com que bagagem você está percorrendo o seu caminho? Que tamanho ela tem? Qual o peso? Forma? Densidade? Conteúdo? O que tem nela?

Quando partimos para uma viagem, normalmente pensamos no que vamos colocar em nossa mala, não é mesmo? E qual critério utilizamos para isto? Escolhemos em função do destino, certo? Sim! Definido o destino, vamos nos preparar para chegar lá estudando rotas, pesquisando clima e cultura dos locais para onde pretendemos ir.

E por que não levamos em conta que em nossa vida é a mesma coisa? Pense! Nascemos em um lugar específico do planeta. Numa longitude e latitude que definiram o ponto de chegada, aterrisagem da nossa consciência encarnada para viver uma nova experiência humana. Esse local é que define o nosso mapa de nascimento, um retrato do céu naquele exato instante, que valerá para nós para o resto da vida. Este mapa é o projeto do nosso Ser, da nossa missão, e das inúmeras possibilidades para vive-la. Um GPS interno ao qual podemos recorrer sempre que nos sentimos perdidos. E por que esquecemos disto, ficando com medo de promover mudanças no caminho?

Talvez, porque nos acostumamos com tudo na vida. Até com o que não é bom! Nascemos, crescemos e saímos feito zumbis, tontos e inundados de informação inútil captadas pelos sentidos do ego, que nos esquecemos de esvaziar a mala das coisas que não queremos mais. O problema é, será que a gente sabe, de fato, para onde deseja ir nesta vida? Imagine que a sua vida é uma grande viagem. Para onde ela está te levando? Ou, será que você gostaria – em vez – de a estar dirigindo para outro destino? A verdade é que quando a gente não escolhe a direção fica à mercê das escolhas alheias e só percebe o sintoma – a infelicidade!

No caminho do autoconhecimento tem muitas estradas vicinais que se a gente não ficar atento, vai se perder em inúmeros labirintos. Labirintos que causam terror como o medo de errar, fracassar, ser rejeitado ou simplesmente de não ser reconhecido. Sabe aquela coisa de ficar triste por conta de um comentário infeliz que alguém fez de você? Uma crítica que poderia ter sido feita de forma construtiva diretamente a você, mas talvez por receio de não ser aceita, a outra parte se calou. E daí falou para um terceiro e virou fofoca? Então, tudo isto é bagagem que só tem a função de ensinar você a se transformar e que deve ser descartada no instante em que cumpriu o este objetivo.
Quando aprendemos que o poder de decisão é sempre nosso, paramos de carregar mala sem alça. Passamos a ter menos pensamentos tóxicos porque eliminamos queixas que nos colocam como vítimas de nossas más escolhas e com isso podemos definir melhor os pontos de parada de nossa jornada.

Perceba que você tem dentro de si um eixo fundamental de equilíbrio que faz girar a roda da sua vida. E para que essa roda gire com harmonia, você precisa estar no seu centro para dirigir o fluxo correto de energia a ser despendido em cada área. Por isto, lembre-se sempre: Faça Seu Céu Brilhar!

Contato:
Maria D’Arienzo – Astróloga e Master Coach
Amplie seu autoconhecimento: Faça seu Mapa Astral
WhatsApp: (11) 99251-7624
Facebook: @facaseuceubrilhar