Reféns da insegurança

No último fim de semana a região foi surpreendida pela notícia de um assalto que fez 30 reféns dentro de uma lanchonete em Mairinque. Infelizmente não existe mais hora e nem lugar. Cidades grandes ou pequenas, de dia ou à noite, todos estamos expostos à ação dos bandidos.

E quando se fala em insegurança o Rio de Janeiro tem que ser citado. Na quarta-feira um garoto de cinco anos viu seu pai ser assassinado durante um assalto na porta de casa. A vereadora mais votada da cidade, Marielle Franco (PSOL), foi morta com quatro tiros na cabeça após sair de um evento na Lapa. Suspeita-se de execução. Para alguns casos, como o da violência explícita que abala todo o país, as soluções ainda estão muito longe do alcance dos governantes.

Mas para outros, existe prevenção. Prédios públicos, como escolas, creches, departamentos e até a própria prefeitura de São Roque ainda não possuem o AVCB – Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, que detecta possíveis riscos de incêndio na estrutura dos estabelecimentos. Como já visto em outros casos do país, Boate Kiss ou Museu da Língua Portuguesa em São Paulo, não podemos esperar que o pior aconteça. Ainda mais na condição precária que os prédios públicos se encontram, essa é a hora de realmente avaliar e tomar medidas que garantam a segurança de todos.