Notas sobre safra, azeite, tecnologia e mandioca

SAFRA

Esta safra 2016/17 deve chegar a 227,9 milhões de toneladas, um aumento de 22,1% ou 41,3 milhões de toneladas comparados com a safra passada. Este bom resultado se deve ao clima que ajudou bastante, também a tecnologia empregada, e o aumento de 3% da área cultivada um total de 60,1 milhões de hectares. A cultura da soja poderá ter um crescimento de 15,4%, e a cultura do milho 37,5%.

CUIDADO COM O AZEITE

Todo cuidado é pouco na hora de comprar azeite de oliva. O Ministério da Agricultura identificou irregularidades em 45 marcas de azeite entre as 140 coletadas. Entre um total de 322.329 litros, 207.579 tinham problemas. A fraude mais praticada pelas empresas envazadoras é a utilização de óleo vegetal com azeite lampante, que tem cheiro forte e acidez elevada, (extraído de azeitonas deterioradas ou fermentadas e impróprio para o consumo).

MARÇO

O Brasil está bem no que se refere as exportações agrícolas. No total das exportações brasileiras, deste mês de março, 43,5% do valor das exportações, são do setor da agropecuária nacional, um total de US$ 8,73 bilhões, recorde para os meses de março, um aumento de 4,6% comparado com março de 2016. Em março, o complexo soja representou 46,5% de todas as exportações do agronegócio.

VALOR TOTAL DA PRODUÇÃO

Um total de R$ 550,4 bilhões é o valor bruto da produção agropecuária (VBP) estimado para 2017, um acréscimo de 4,2% em relação à 2016. O fator um dos principais é o aumento da produtividade das lavouras, com destaque para o algodão, milho e soja. O aumento das lavouras foi de 8,7% somando R$ 370,9 bilhões e a pecuária teve redução de 2,5%, ficando em R$ 179,5 bilhões.

PREVENÇÃO

Técnicos da defesa agropecuária, pesquisadores, representantes de casas genéticas e de granjas atualizaram seus conhecimentos para ampliar as medidas de prevenção e controle da Influenza Aviária no plantel paulista durante o “Seminário Paulista de atualização sobre Influenza Aviária”. O evento foi realizado em 11 de abril de 2017.

TECNOLOGIA NO CAMPO

Hoje a tecnologia está em todos lugares. Cerca de 67% das propriedades agrícolas usam algum tipo de tecnologia, seja na área de gestão dos negócios ou nas atividades de cultivo e colheita da produção. A estimativa é do coordenador da Secretaria Executiva da Comissão Brasileira de Agricultura de Precisão (CBAP), Fabrício Juntolli, reconduzido ao cargo por mais dois anos, quinta-feira (13), por meio de portaria assinada pelo ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

PREÇO REAGE

Os preços internos da soja em grão, em queda desde dezembro/16, reagiram nos últimos dias, puxados especialmente pela maior demanda para exportação. Segundo pesquisadores do Cepea, os valores também foram impulsionados pela retração de produtores, que reduziram o volume ofertado após os preços domésticos terem voltado aos menores patamares em cinco anos.

MANDIOCA OFERTA

A oferta de mandioca tem crescido, refletindo o início da colheita, a necessidade de produtores liberarem áreas em parte das regiões acompanhadas pelo Cepea e os preços ainda atrativos da matéria-prima. Por outro lado, o volume de raiz processado diminuiu, devido ao feriado da Sexta-feira Santa. De modo geral, o ligeiro excedente pontual de oferta tem reforçado a pressão de indústrias sobre os valores da matéria-prima.

MILHO

Os preços internos do milho tiveram novas quedas na última semana, mas menos intensas que as registradas nos períodos anteriores. Segundo pesquisadores do Cepea, a pressão continua vindo do avanço das atividades de campo da safra 2016/17, que reforça, dia após dia, a expectativa de oferta recorde nesta temporada. Por outro lado, a retração vendedora interrompeu o movimento de queda na quarta e na quinta, especificamente.

Por Maurício Picazo Galhardo - Jornalista Mtb. 64.425/SP - colaborador voluntário