Saiba fazer o bom Networking e tenha um diferencial


Você sabia que hoje em dia o bom Networking deixou de ser uma opção e se tornou uma necessidade? Pois bem. Em uma entrevista de trabalho com diversos currículos e formações semelhantes, o que pode fazer a diferença para ser o escolhido? Se você respondeu o QI – o famoso Quem Indica -, acertou!

Mesmo que isso pareça injusto, diante de tanta preparação do profissional em sua área de estudos e atuação, essa é a realidade atual, do mercado de um trabalho cada vez mais acirrado. A possibilidade de uma boa entrevista, com certeza começa pelas portas que um bom contato pode abrir dentro de uma empresa.

Por isso aliar a preparação profissional e técnica ao “contato que faz a diferença” aumenta (e muito) suas chances de ser contratado para a vaga que deseja. Em algumas áreas, por exemplo, como o próprio Jornalismo, as vagas são preenchidas, na maioria das vezes, por indicação direta, tendo em vista que muitos jovens se formam nesses cursos e poucas vagas estão disponíveis na área.

A partir desse importante preceito é imprescindível saber que algumas atitudes simplesmente não podem ser consideradas Networking, como: achar que o contato é seu amigo – ele é apenas um contato profissional; não envie e-mails a pessoas que você não conhece, somente porque estão em posição de destaque em uma empresa – isso não é elegante.

Se você não tem uma rede de contatos e está querendo começar uma agora mesmo, pense nas pessoas mais próximas a você, e que já estão no mercado de trabalho. Isso pode partir até mesmo dos colegas de escola ou faculdade, que tem um pai trabalhando na instituição, por exemplo.

Para criar uma rede sólida de relacionamentos profissionais é preciso tempo, persistência e paciência. Construir o bom Networking também exige bom senso. Não saia por aí espalhando seu currículo sem um objetivo. Observe, invista nas pessoas certas e espere. O sol nasce para todos!

Boa semana!
Abraços,
Roque Gonçalves
Mentor em Networking
www.roquegoncalves.com.br