SALVO PELA EDUCAÇÃO E GENTILEZA

Certo dia, um funcionário de um grande frigorífico ao término do trabalho, foi inspecionar a câmara frigorífica, como era de rotina. Inexplicavelmente, a porta se fechou e ele ficou preso lá dentro.
Bateu na porta com força, gritou por socorro e ninguém o ouviu; todos já haviam saído para suas casas e era impossível que alguém pudesse escutá-lo.

Depois de algum tempo, já calado e debilitado devido à baixa temperatura, ouviu o som mais alegre da sua vida: a porta de aço se abrindo e os passos de alguém entrando: era o vigia da empresa.
Quando perguntaram ao vigia o que o levou a abrir a câmara, já que isso não fazia parte da sua ronda noturna de trabalho, ele explicou:

– Trabalho nesta empresa há 35 anos, todos me dão bom dia e até amanhã. Esse rapaz, não tinha nenhuma gentileza e nunca fez isso. De uns dias para cá ele mudou e passou a me cumprimentar, como hoje eu não o vi dizer até amanhã, desconfiei que ainda estava aqui.

Nos últimos anos, nossa sociedade vem se esquecendo do que é educação, respeito e gentileza. O trânsito em nossa cidade está cada vez mais travado nas horas de pico. A educação da maioria dos motoristas já desapareceu há tempos, gentilezas então, isso nem se comenta mais.

Poucos são os condutores que dão preferência aos pedestres, quando estes atravessam em suas respectivas faixas. E os pedestres? Acham que podem atravessar em qualquer lugar, mesmo sem as faixas. Os veículos é que tem a obrigação de parar. Claro que o pedestre sempre terá prioridade, mas abuso e falta de educação não levam a lugar nenhum. Poucos deles atravessam nas faixas e aquela maioria que não as usam, até nos semáforos quando estes estão abertos para os carros, atravessam. Isso é falta de educação e gentileza de uns para com os outros. Isso é Brasil! Vejamos outros incômodos causados por falta de respeito ao povo: considerando que no Brasil ainda apenas 60% da população ainda tem acesso a internet, e que mesmo sabendo disso, tanto governo como as instituições bancárias, fazem seus acordos de que todos tem que acessar ao sites das empresas para solicitar as segundas vias para pagar suas contas, quando o Correio falha nas suas obrigações. Como o serviço de correio no Brasil é uma porcaria, toda população está ficando sem receber suas faturas e correspondências. Carnês de pagamentos que as financeiras enviam pelo correio não chegam e os acessos aos sites das financeiras são complicadíssimos para entrar. Mesmo para quem tem internet.

Você liga nos telefones das financeiras, tem uma voz gravada do outro lado da linha que fica dando opções e depois de esgotar todas, você descobre que aquilo que você precisa não tem. Depois todos pagam altos juros por culpa das instituições, correios e governos que não tem um pingo de gentileza e respeito com o povo.

Em São Roque, por exemplo, a gentileza e respeito com idosos é zero.

Por exemplo: o governo brasileiro insiste que um idoso (a) aposentado, com 80, 90 ou mais anos de idade, seja obrigado a ir ao banco provar que está vivo. Eu pergunto: você tem visto vagas para idosos em frente aos bancos da cidade? Já faz alguns anos, minha mãe ainda estava viva e quase nem andava mais, eu a levei ao banco para provar que estava viva. Tinha uma vaga em frente ao Banco do Brasil para deficiente, outra para o carro forte, e para idoso só do outro lado da rua em frente uma loja. Eu já tinha dado várias voltas no quarteirão e o mesmo veículo estava na vaga para idoso há horas. Estava um dia chuvoso e eu parei ali mesmo na vaga para deficiente e coloquei o cartão do idoso no para brisa.

O guarda de trânsito da prefeitura foi lá e mandou tirar o veículo porque a vaga de idoso era do outro lado da rua. Tentei apelar usando toda gentileza e educação, mas ele me disse que se o carro ficasse ali seria multado. Daí eu pergunto: uma idosa de quase noventa anos que quase não consegue andar não seria considerada uma deficiente?

Abraços gentis do Bispo Cláudio Gonçalves.

Texto: Bispo Cláudio Gonçalves