Açúcar piora qualidade da pele e atrapalha procedimentos estéticos

A dieta básica do brasileiro é composta principalmente de carboidratos, açúcares que são os principais responsáveis por fornecer energia para o corpo. Porém, o consumo em excesso desses açúcares, que incluem desde pães até doces, pode causar uma série de consequências em nosso organismo, principalmente na pele.

“Após um final de semana de comilança e muito doce, por exemplo, é comum acordar com inchaços e com bolsas sob os olhos. Às vezes até se ganha alguns quilos!” – garante a cirurgiã plástica Dra. Beatriz Lassance, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da Isaps (International Society of Aesthetic Plastic Surgery). “O organismo precisa de muita água para metabolizar a glicose e acaba retendo líquido para dar conta do processo” – explica.

A chave dos procedimentos estéticos é o estímulo de colágeno. Evitar açúcares é importante par quem vai passar por uma operação plástica porque pacientes com marcadores altos de estresse oxidativo e um sistema antioxidante falho, causado pelo excesso dos carboidratos, têm mais riscos de sofrer com problemas de cicatrização e trombose quando submetidos à cirurgia.

“Quanto melhor o metabolismo, melhor a qualidade do colágeno, mais eficazes serão os resultados e a recuperação de qualquer procedimento estético. Sendo assim, quanto melhor o metabolismo e menores os marcadores de estresse oxidativo, melhor a qualidade final das cicatrizes e os resultados dos procedimentos” – conclui a Dra. Lassance.

A longo prazo, uma dieta com muito açúcar pode causar o envelhecimento precoce, pois afeta a produção e a estrutura das fibras de colágeno e elastina da pele. Além disso, o estresse oxidativo causado pelo alto consumo de açúcar pode danificar o DNA das células e diminuir a atividade celular, a cicatrização da pele, a imunidade e o metabolismo favorecendo o aparecimento de doenças como câncer e aterosclerose.

Fonte: Dra. Beatriz Lassance - Cirurgiã Plástica formada na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e residência em cirurgia plástica na Faculdade de Medicina do ABC. Trabalhou no Onze Lieve Vrouwe Gusthuis – Amsterdam -NL e é Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery) e da American Society of Plastic Surgery. Além disso, é membro do American College of LifeStyle Medicine e do Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida.