Beleza como terapia na recuperação de doenças

O bem-estar e a autoestima são aspectos importantes para muitas mulheres e reconquistar a vaidade e a satisfação com a autoimagem, principalmente após tratamentos médicos como os quimioterápicos, por exemplo, é tarefa árdua para um o corpo sofreu com os efeitos físicos e psicológicos durante o período de recuperação. Muitas vezes, adaptar-se às sequelas causadas por doenças e até pelos tratamentos é um processo complexo.

Pacientes que passam pelo câncer, por exemplo, às vezes perdem cabelos e pelos do corpo e costumam sofrer com a nova aparência, bem diferente daquela que estavam acostumados a ver. Incentivar estas pessoas a fazerem as pazes com a vaidade é uma dica primordial que fará toda a diferença no tratamento.

As sobrancelhas são componentes marcantes na feição feminina e, infelizmente, elas também podem sofrer com os efeitos da radioterapia ou quimioterapia. Atualmente, existem métodos que as deixam semelhantes ao modelo natural, como é o exemplo da micropigmentação. “O procedimento é feito na segunda camada da pele, na papila dérmica, resultando em um efeito mais natural, preenchendo as falhas ou, dependendo do caso, substituindo o designer completo das sobrancelhas”, conta a micropigmentadora do salão Maison Rocha, Raquel Normandia.

Bruna Gomes da Silva, professora, descobriu em 2015, aos 34 anos, um câncer de mama invasor e passou por um momento difícil de sua vida. Ela teve que retirar a mama esquerda completa e passar por tratamento de quimioterapia e cirurgia. “A micropigmentação ajudou muito na recuperação da minha autoestima, pois, a mama sem a auréola e o bico fica muito feia e estranha, além da cicatriz enorme. O procedimento devolveu vida para a minha mama”, relata.