Ministro da Saúde defende vacina da gripe e alerta para desinformação: ‘Não sabem o drama do que é uma pólio’

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, pediu neste sábado (4) que a população se imunize contra a gripe. Em evento no Leme, Zona Sul do Rio, dentro do “Dia D” de combate à doença, Mandetta alertou para a disseminação de informações sobre efeitos colaterais inexistentes da dose.

“As gerações mais novas não sabem o drama do que é uma sequela de pólio, uma cegueira do sarampo, uma encefalite da caxumba e às vezes arrisca. Escuta fake news e acha que a vacina tem alguma [complicação]… Não, a ciência está aí pra nos ajudar”, afirmou.

“Há uns 15 dias, o prefeito de Nova York decretou emergência e vacinação compulsória contra uma epidemia de sarampo. Quando você tem essas doenças infecciosas, isso prejudica o turismo, a abertura de empresas e o ambiente de negócios”, emendou Mandetta.

O Ministério da Saúde anunciou que 41,8 mil pontos de vacinação estarão abertos neste sábado, e 196,5 mil funcionários serão envolvidos.

Até sexta-feira, 14,5 milhões de pessoas haviam sido vacinadas no Brasil. Mesmo quem não conseguir se vacinar neste sábado pode comparecer aos postos até 31 de maio. A meta é imunizar pelo menos 90% do grupo prioritário, de cerca de 59,5 milhões de pessoas.