Tensões

O homem atual passa por constantes aflições, as quais os deixam tenso em sua maior parte do dia. Quando acorda, a maioria procura ver os noticiários para se inteirar dos acontecimentos, colocando-se de imediato na corrente agitada do mundo. Embora muitos relatos não tenham a ver diretamente com muitas das pessoas, as mesmas se deixam envolver por eles, sofrendo mesmo que indiretamente com as notícias.

No Brasil, a política vem causando grandes estragos no plano emocional daqueles que nela estão envolvidos, bem como naqueles que por ela são afetados de alguma forma. As decepções são muitas para o eleitorado, e fica difícil crer em alguma coisa. Os depoimentos, hoje, são meras palavras que não merecem serem levadas a sério tamanha é a falta de credibilidade que tomou conta da maioria dos personagens desse meio.

Os benefícios sociais estão uma lástima, e aqueles que dependem de aposentadoria estão vivendo momentos de angústia e desespero, lutando para conseguirem pelo menos o salário mínimo para sobreviver, enquanto a folha de pagamento dos favorecidos, que somam grande parte do orçamento é imexível. Uma grande desigualdade, e o governo quer penalizar justamente a fatia dos assegurados que beiram o estado de fome.

A insegurança social é expressiva, com falta de empregos, de moradia, e com a assistência médica em frangalhos. Juntem-se a isso as dificuldades financeiras pelas quais todos passam, independente se é patrão ou empregado.

A criminalidade está fora de controle a despeito do fato não ser reconhecido pelas autoridades. No Rio de Janeiro e em outros determinados estados, a vida não vale mais nada. Mata-se pelo simples desejo de matar, e os noticiários estão aí para provarem o que está sendo dito.

No cenário internacional a coisa não é diferente. O Estado Islâmico causou e ainda causa terror em muitos lugares, ceifando vidas sem o menor critério ou necessidade, guerras em vários lugares, atentados ocorrendo nos locais considerados mais seguros, a Coréia do Norte ameaçando iniciar uma terceira guerra mundial, e seus aliados se vendo envolvidos qual uma mosca presa em teia de aranha.

A humanidade em geral, salvo algumas nações abastadas, se depara em seus territórios com problemas de difícil solução, tais como a fome, doenças, moradia, empregos, falta de cultura, e os problemas causados por dogmas religiosos, que muitas vezes se tornam seus algozes.

O homem busca solução para combater o que lhe causa tensão, procurando resolver conflitos e clamando pela paz, mas, será que a tensão não é algo que está dentro de cada um de nós? Dizem os místicos, que ela não vem de fora, mas sim, é produzida em nosso âmago, em decorrência das nossas expectativas de vida. Conscientização, a grande carência da humanidade.

Disney Medeiros Raposo