Vereadores de Cotia discutem possibilidade da Ceagesp se mudar para a cidade

 

A Câmara dos Vereadores de Cotia realizou na manhã de ontem (8/5) sua décima quarta sessão ordinária de 2018. Foram aprovados quatro projetos, incluindo três moções de pesar pelas mortes de Walter Pereira da Costa, que tinha uma barraca de comida em frente à sede da prefeitura; do ex-funcionário da câmara Samuel Sousa da Silva; e de Gabriel de Almeida Silva Gomes Lopes.

O único projeto de lei aprovado foi o 7/2018, que cria um Banco de Ideias Legislativas para que a população sugira projetos à casa. O vice-presidente e autor do projeto, Marcinho Prates (SD), discursou em favor da propositura. “Se a ideia [sugerida pelo cidadão] for de valia, a gente usa. O projeto trará a comunidade para mais perto dos vereadores. Tenho certeza de que muita gente aí fora tem ideias boas para a cidade”, disse.

Na tribuna, Tim (MDB) pediu mais atenção do executivo para a Marcha para Jesus, que acontecerá no próximo dia 19. Discursando em seguida, Fernando Jão (PSDB) disse que “o mal da política administrativa é ter muitas pessoas com muito poder e pouca responsabilidade”. Ele concordou com seu colega sobre a necessidade da prefeitura dar mais apoio ao evento religioso. Ele também lamentou que a câmara seja sempre “sócia dos erros” da prefeitura e nunca seja lembrada nos acertos. “Quando o governo erra, a câmara erra, e quando ele acerta, a gente tem que acertar também”, disse.

Em seguida, pediu aos secretários municipais que deem mais atenção aos vereadores. “Tem secretário que sequer atende o vereador. E aqui vai um recado: quando um vereador te liga, é a população que está ligando. Quando ele te pede algo, é a população que está pedindo!”

Tim reverberou suas palavras. “Não é possível vereador batendo dois meses lá pra não ser atendido pela prefeitura. O Executivo e o Legislativo têm que caminhar juntos para as coisas andarem! Falam que o secretário não está, mas ele está, só está em reunião. Falem isso então! Trabalhem com a verdade! Tem meia dúzia de pessoas na prefeitura trabalhando. Nossa cidade está parada no tempo!”

Celso Itiki (PSD) comentou uma discussão que ocorreu recentemente na Câmara de Barueri sobre a possível ida da Ceagesp para o município. “Um vereador disse que lá não tem estrutura para recebê-la. Bom, nós, da Ceagesp, não temos interesse nenhum em sair da Vila Leopoldina. Queremos reestruturar a empresa onde ela está”, afirmou.

Num aparte, Jão sugeriu que a mudança da Ceagesp para Cotia traria muitos empregos para a cidade. Celso então se disse simpático à ideia. “Peço ao presidente Paulinho Lenha, do PSB, que averigue com o governador Márcio França, também do PSB, uma agenda para viabilizarmos uma área em Cotia pra Ceagesp. O ministro da agricultura, pecuária e abastecimento, Blairo Maggi, não se opõe à mudança de local. Ele sabe que a Ceagesp tem 14 entrepostos só no estado. E sabe também que o custo pro ministério é alto”, disse.

Professor Osmar (PV) também se disse favorável à vinda da Ceagesp. “Se isso se concretizar, vai nos beneficiar muito. Somos uma rota de transporte desses produtos”.