A escravidão no lar

Como disse certa vez Spencer Lews – antigo Imperator da Ordem Rosacruz Amorc -, as mulheres são como anjos na terra, pois dado seu dinamismo, são peças fundamentais no lar, e, acima de tudo, possuem a capacidade de gerar outro ser.

O universo feminino possui sua força própria, e ela sempre foi insuperável nas eras que passaram. O chamado sexo frágil, que de fraco não possui nada, foi a mola mestra em muitas situações, nas quais a mulher foi a causa de grandes mudanças, bem como de grandes realizações, tanto no passado, como nos tempos atuais.

Como exemplo, temos o suntuoso palácio Taj Mahal, um mausoléu situado na Índia, que foi construído entre 1632 e 1653 com a força de cerca de 20 mil homens, trazidos de várias cidades do Oriente, para trabalhar no grandioso monumento de mármore branco que o imperador Shah Jahan mandou construir em memória de sua esposa favorita, Aryumand Banu Begam – uma princesa persa, sendo sua terceira esposa – a quem chamava de Mumtaz Mahal (A jóia do palácio).

Porém, nos afastando da vida paradisíaca dos “contos de fada”, onde tudo é glamour e histórias de “príncipes encantados”, Vamos nos deparar com a realidade nua e crua que permeia o universo feminino em incontáveis situações. Mantendo nossa atenção na Índia – reduto desse esplêndido palácio -, vamos ver o que está ocorrendo com as mulheres desse país de tantos mistérios.

Nos noticiários internacionais, encontramos o pedido das mulheres indianas ao premiê do país, para que incentive os homens a dividirem o trabalho doméstico. Essa crise se agravou em decorrência das repetidas quarentenas devido à pandemia política do Covid-19, que acentuou um problema antigo que tortura a vida das “rainhas do lar” há muito tempo.

O trabalho doméstico por lá geralmente é pesado, pois não existem as facilidade encontradas no ocidente, onde os aparelhos domésticos fazem quase todos os serviços indesejáveis. Isso significa que a louça deve ser lavada individualmente, as roupas devem ser manipuladas em baldes ou tanques, e penduradas para secar, as faxinas nas casas devem ser feitas com vassouras e panos, e ainda é preciso cuidar de crianças, idosos e pessoas enfermas.

O lockdow é insuportável, e está proporcionando cada vez mais violência, obrigando muitas mulheres a se submeterem aos maus tratos de muitos maridos abusadores, principalmente quando a família não tem condições de contratar mão de obra para realizar os serviços domésticos. De acordo com um relatório da Organização Internacional do Trabalho , em 2018, as mulheres na Índia urbana passavam 312 minutos por dia em trabalhos de assistência não remunerado. Homens passavam apenas 29 minutos. Nas aldeias, eram 291 minutos para as mulheres e 32 minutos para os homens.

O lar é um ambiente formado para abrigar uma família, e deve ser agradável, acolhedor, e um refúgio protetor. Portanto, é de interesse dos que vivem nele, que tais qualidades sejam preservadas, e para isso, cada um deve fazer sua parte em proporções iguais, para que, além de justo, seja um ambiente de paz e harmonia, onde todos se respeitem, e sejam responsáveis pelo bem estar.

                                       Disney Medeiros Raposo