A voz da madrugada

Era madrugada e de repente acordei com uma frase na minha cabeça. Era quase uma ordem, e ficou se repetindo várias vezes: Viva o Seu Ritual Sagrado de Cura.

Senti que ela deveria fazer parte do meu roteiro da aula programada para eu dar naquela manhã em que iríamos justamente tratar da morte e dos rituais.

Senti ainda que aquela mensagem, estava destinada a mim em primeiro lugar. Pois sim! Eu sou uma pessoa de rituais, nasci sob o signo de Escorpião e tenho na força deste signo a minha missão de cura, que por muitos anos não compreendia bem como faria para realizar.

Talvez a frase não tenha sido transcrita exatamente como ela foi recitada em minha cabeça na madrugada, mas durante a aula ela fluiu e saltou da minha mente como um convite para aqueles que me assistiam.

“Encontre o seu caminho de cura e não tenha medo e nem vergonha de pedir ajuda”.

E então eu compreendi o que há muito eu já sabia, mas que talvez faltasse o instante santo em que a certeza viesse de dentro para me mostrar que todos nós que buscamos transcender a insanidade deste mundo cheios de egos presos na escuridão, precisamos viver nossos ritos e rituais sagrados de cura, que a humanidade ao longo da história trocou por tecnologia.

Sim, eu acredito que toda boa curandeira precisa de um ritual sagrado de cura, e aquela ordem veio como um: “você está pronta”. Vá e viva a sua cura. E isto é incrível!

É incrível, porque de fato, curadores, não curam ninguém. Nenhum médico cura um paciente que não quer ficar são, nenhum psicólogo tira o sofrimento de alguém que está convencido de que nasceu para sofrer, nenhum pai ou mãe tira um filho de um caminho das drogas, se eles não estenderem a mão para receber a ajuda necessária para saírem do buraco que cavaram para si mesmos.

E o pior é que estas ovelhas negras não sabem que só estão na rota de colisão com o mundo porque nasceram com uma missão sagrada a cumprir, e que precisam se curar para seguir seu caminho de luz.

Sim, eu fiquei muito emocionada com esta jornada de 12 dias intensos, notoriamente patrocinadas pelo Plano Divino em minha mente, pois senti que ao prepará-las com tanto carinho para entregar a quem estivesse pronto para se transformar, eu me transformei.

E aquela aula em que falei da morte, não só mexeu muito comigo, mas com todas as pessoas que estavam lá naquela manhã, prontas para serem tocadas pela luz do amor.

Naquela manhã elas puderam aprender sentindo que atrás da nossa escuridão, é que encontramos a nossa luz, porque é lá que o ego esconde a nossa memória de Deus.

Faça Seu Céu Brilhar

Seja a LUZ que ilumina o caminho da sua MISSÃO

Maria D’Arienzo – Astróloga WhatsApp: (13) 99740-2082 Instagram: @mariadarienzo.astrologia