Produção grãos terá aumento de 5,7% no Brasil

SAFRA

A produção nacional de grãos está estimada em 271,7 milhões de toneladas, com um aumento de 5,7% ou 14,7 milhões de toneladas a mais em comparação ao produzido em 2019/20. A posição histórica deve-se à produção recorde da soja e crescimento estimado do milho total. A projeção é do 8º levantamento da safra 2020/2021 de grãos, divulgado, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

5G

A conectividade 5G no campo, que passa a estar disponível desde o dia (11) com a inauguração da primeira antena em área rural dessa nova geração da internet na fazenda modelo do Instituto Matogrossense de Algodão (IMAmt), em Rondonópolis (MT). É a partir da conexão em 5G que drones, chips, GPS e equipamentos como tratores poderão entrar em ação e enviar informações sobre comportamento e saúde do animal e manutenção de condições climáticas da lavoura, por exemplo. 

SELO ARTE

O Ministério da Agricultura, publicou Portaria, que abre consulta pública para produtores e representantes de estabelecimentos, entidades e órgãos agropecuários participarem do processo de elaboração dos requisitos mínimos de Boas Práticas para a concessão do Selo Arte aos produtos de abelhas e seus derivados. A portaria apresenta proposta de texto de Instrução Normativa, reconhecendo as atividades de apicultura, criação da abelha Apis Mellifera, e de meliponicultura, criação de abelhas nativas do Brasil, que têm como característica a ausência de ferrão.

AGRO FRATERNO

Buscando formas de contribuir com a população mais vulnerável, a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) e o Instituto Pensar Agropecuária (IPA) participaram de reunião com o Presidente da República, Jair Bolsonaro, para apresentar o programa Agro Fraterno, que busca auxiliar o Governo Federal nos esforços de combate à fome por meio do estímulo à doação de alimentos pelo agro brasileiro.

LÁCTEOS

A Comissão de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR) realizou audiência pública extraordinária, e tratou dos problemas existentes no acordo com o Mercosul, assinado no ano 1994, e que reverberam, até os dias atuais, na importação de leite. O deputado federal Celso Maldaner (MDB-SC), foi o responsável por presidir a Comissão, e iniciou os trabalhos expondo as principais preocupações dos produtores de leite do país.

ORDEM

A presidente da Sociedade Rural Brasileira, Teresa Vendramini, vem acompanhando de perto as discussões sobre o processo de regularização fundiária no Brasil. “Tenho me dedicado e aprendido sobre o tema, visitando produtores rurais em diversas regiões do Brasil e nas mais diferentes atividades agropecuárias”, destacou. Vendramini vem a público reforçar a necessidade urgente em avançar com a regularização fundiária, processo que vai transformar a vida de famílias que vivem na vida rural, com benefícios para a sociedade brasileira como um todo.

ESTUDANTES

O movimento Todos a Uma Só Voz realizou o webinar “O Agro para Estudantes”. O encontro teve por objetivo incentivar o ensino do agronegócio e estimular a empatia dos estudantes pelo setor e pelos produtores rurais. “No movimento procuramos pensar em ações direcionadas às crianças e aos jovens, visando a aproximá-los do agro. Atualmente, os livros e materiais didáticos usados no sistema escolar não retratam a realidade e acabam distorcendo a imagem do setor”, explica o coordenador do projeto, Ricardo Nicodemos, também vice-presidente executivo da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA).

RODA VIRTUAL

O Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) lança, juntamente com outras organizações, a terceira roda virtual de negócios para empresas da América Latina e do Caribe dedicada a comercializar produtos do setor agroalimentar. O objetivo é favorecer os vínculos comerciais entre empresas da cadeia agroalimentar, para que consolidem ou diversifiquem seus mercados de exportação a fim de acelerar a recuperação econômica perante à Covid-19. A roda virtual será realizada de 24 a 28 de maio. 

CLIMA

O tempo seco e previsões indicando baixo volume de chuvas para as próximas semanas têm deixado triticultores brasileiros em alerta. Segundo colaboradores do Cepea, esse clima desfavorável vem limitando a semeadura do cereal e prejudicando o início do desenvolvimento das lavouras já implantadas. No Paraná, dados da Seab/Deral indicam que as atividades de campo ocorrem em solo seco e somam 6% da área esperada.

Com assessorias de comunicação – Edição jornalística: Mauricio Picazo Galhardo – mauricio.picazo.galhardo@gmail.com