Superfície de água no Brasil reduz 15% desde os anos 90

AgroNotícias

PREVENÇÃO

Dirigentes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) acompanharam, na noite e madrugada de (23-24), no Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), ações de controle para evitar a entrada da peste suína africana no Brasil. O aeroporto de Cumbica, como é conhecido, concentra 76% do movimento de passageiros internacionais no país.

IMAGEM

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) quer reverter a imagem negativa, em termos ambientais, que o setor agropecuário tem no exterior. Segundo o secretário de Comércio e Relações Internacionais do ministério, Orlando Leite Ribeiro, os problemas de desmatamento se tornam ainda mais graves para o Brasil devido a uma percepção externa reforçada por países que querem defender “seus sistemas ineficientes” de prática agrícola. 

CONEXÃO

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) inaugurou 34 pontos de conexão via satélite para comunidades do estado do Mato Grosso do Sul, com a presença da ministra Tereza Cristina. O lançamento ocorreu na Sede da Escola Municipal Arthur Tavares de Melo, no Assentamento Taquara, área rural do município de Rio Brilhante. A ministra destacou a importância da conectividade e da parceria com os governos estaduais. 

SEGURANÇA ALIMENTAR

Na sede da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, aconteceu, a segunda reunião ordinária da CAISAN-SP (Câmara Intersecretarial de Segurança Alimentar e Nutricional do Estado de São Paulo), presidida pelo Secretário de Agricultura, Itamar Borges, com a presença da primeira-dama e presidente do Conselho Deliberativo do Fundo Social de São Paulo (FUSSP), Bia Doria.

EMERGÊNCIA

O Plenário do Senado aprovou, o Projeto de Lei que trata de medidas para diminuir os efeitos da pandemia na agricultura familiar, até 31 de dezembro de 2022. O texto segue agora para sanção presidencial. O relator da proposta na Câmara, deputado Zé Silva (SD-MG), destacou os pontos principais do projeto, como a instituição do Fomento Emergencial de Inclusão Produtiva Rural; concessão automática do Benefício Garantia-Safra; criação de linhas de crédito e prorrogação, repactuação e concessão de rebates no âmbito do crédito rural.

AUDIÊNCIA

A audiência pública conjunta das comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados, recebeu o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite. Os parlamentares ouviram as prioridades do novo chefe da Pasta e sugeriram estratégias para a Conferência do Clima (COP 26), que será realizada em novembro, na Escócia. Um dos parlamentares que realizou o pedido da audiência pública, o deputado federal Evair de Melo (PP-ES), ressaltou que a proximidade do meio ambiente com o setor produtivo é de extrema importância. 

REFORMA TRIBUTÁRIA

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) participou do debate virtual “A Reforma Tributária do Consumo sob a perspectiva dos Setores Econômicos”, foi promovida pelo Senado Federal. A discussão faz parte de uma série de quatro encontros temáticos requeridos pelo senador Roberto Rocha (PSDB-MA), relator da PEC, e tem como objetivo analisar a proposta que trata da reforma do sistema tributário nacional.

ÁGUA

Superfície de água no Brasil reduz 15% desde o início dos anos 90. Pesquisa do MapBiomas indica que a dinâmica de uso da terra baseada na conversão da floresta para pecuária e agricultura e a construção de represas contribuem para a diminuição do fluxo hídrico. Ao todo, a retração da superfície coberta com água no Brasil foi de 15,7% desde o início dos anos 90, caindo de quase 20 milhões de hectares para 16,6 milhões de hectares em 2020. 

BANANA

Os dados mais recentes (de agosto) ainda não foram divulgados pela Secex (Secretaria de Comércio Exterior), mas espera-se que as exportações brasileiras de banana ao Mercosul sigam limitadas neste mês. Este cenário seria decorrente do menor ritmo de colheita da nanica no Sul e no Sudeste – principais polos exportadores ao bloco. Em julho, os envios ao Mercosul já perderam força. De acordo com dados da Secex, o volume enviado recuou 13% frente a junho, totalizando apenas 6,9 mil toneladas. 

Com informações de assessorias – Edição Mauricio Picazo Galhardo, jornalista – email: mauricio.picazo.galhardo@gmail.com