As facetas do mal no comportamento humano

O trabalho do psicólogo norte americano Philip Zimbardo com sua teoria sobre o comportamento humano traz informações preciosas para podermos entender as nuances do perfil humano. Ele mostra que aspectos externos podem influenciar ações maldosas, heróicas, ou ainda de indiferença, e até que ponto a persuasão pode transformar uma pessoa com poder a adotar um comportamento vil e até mesmo desumano com quem está sob seu domínio. Segundo as fontes, um estudo foi feito com grupos de alunos, nos quais um deles assumiu a posição de poder, e outro de subordinado, sendo usado para isso as posições sociais existentes. A experiência precisou ser abortada, uma vez que o grupo que detinha o poder nas mãos assumiu tal posição de crueldade em relação ao que era submisso, que chocou a todos. Segundo os relatos, os membros desse grupo se tornaram irreconhecíveis. O famoso Estudo da Prisão de Stanford, onde Phil Zimbardo verificou como pessoas boas são capazes de cometer atos cruéis – fenômeno batizado por ele de Efeito Lúcifer, faz com que se entenda que “a maldade é uma questão de poder” que permite que alguém intencionalmente inflija ao seu próximo um sofrimento psicológico ou físico.

De posse desse conhecimento, podemos entender o porquê da crueldade de alguns soldados na guerra, dos nazistas, e até mesmo de alguns policiais, que nesse momento de desgoverno de determinados Estados, estão massacrando a população. O poder corrompe, e a falta de limites traz à tona perfis desconhecidos até mesmo de quem os praticam. Faz parte do pacote, os ímpetos ditatoriais e desumanos de alguns governadores e prefeitos – que nunca deveriam estar ocupando essas cadeiras -, que legitimam as ações truculentas de alguns membros da polícia, seja, ela municipal ou militar, bem como decretam atos absurdos que ferem os direitos civis. É a “fome junto com a vontade de comer”. Quem tem a “violência no sangue”, sempre está à espera de uma oportunidade para exercê-la, mesmo que não tenha consciência disso.

Viver em um momento, no qual os valores sociais com seus direitos são jogados no lixo, e a constituição rasgada, é um exercício de superação, no qual somos postos à prova, e preparados para o que pode vir de pior. Não podemos ser omissos, e devemos lutar por nossos direitos.  

ERRATA – No meu artigo – Os ensinamentos de um velho diabo –, reproduzi um texto que foi erroneamente atribuído ao escritor C.S.Lewis, em sua obra “Cartas de um diabo ao seu aprendiz”. Acontece, que a fonte de onde tirei a informação, errou ao se referir ao autor do artigo, que na verdade pertence à escritora Camila Abadie, que possui um perfil interessante. Peço desculpas pelo equívoco, mas, enalteço a mensagem dada, cujo teor foi o verdadeiro motivo pelo qual a divulguei, independente de quem fosse seu criador.       

Disney Medeiros Raposo