Cinco pessoas são indiciadas após são-roquense morrer por engano em tiroteio

O Departamento de Investigações Sobre Crime Organizado (DEIC) indiciou cinco suspeitos de participarem de um ataque a caixas eletrônicos na Prefeitura de São Roque (SP), há um ano. Pelo menos 10 homens armados teriam explodido três caixas automáticos. Na fuga, o grupo criminoso em três carros foi abordado por policiais, houve troca de tiros e dois suspeitos morreram.

Durante a ação, o morador Carlos Eduardo Lofredo morreu no tiroteio entre bandidos e policiais. O carro dele foi atingido mais de 100 vezes, segundo a polícia.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), um ano após o crime, cinco suspeitos foram indiciados. O caso corre em segredo de Justiça e o nome dos envolvidos não foi divulgado. A SSP informou ao apenas que nenhum deles é policial.

Na época, Carlos Eduardo Lofredo estava a caminho do trabalho quando foi morto. A polícia teve acesso à escala de trabalho dele no dia do tiroteio. Conversas no WhatsApp também reforçam que a vítima ia fazer entregas na madrugada e foi morta por engano.

Os dados cedidos pela empresa com os horários do motorista mostram que Carlos deveria estar na sede, localizada em Mairinque, às 3h. Anteriormente, a Polícia Civil chegou a cogitar uma suposta participação do motorista no ataque aos caixas eletrônicos.

Homenagens 

A morte de Carlos Lofredo gerou comoção na cidade onde ele morava. Carlão era conhecido no município, onde já havia concorrido ao cargo de vereador, mas não foi eleito. Nesta quarta-feira (23) completa um ano da morte dele e Ângela Lofredo, viúva da vítima, contou a redação do jornal O Democrata que realizará uma missa com amigos e parentes, e que aguarda por Justiça.