Com o volume de chuvas 35% abaixo da média histórica, mananciais estão em estado de alerta em Mairinque

O mês de dezembro, tradicionalmente conhecido pelas chuvas, tem início de forma bastante atípica em Mairinque. Os primeiros dias do mês têm sido secos, mantendo a tendência de 2021 que tem registrado um volume de chuvas abaixo das médias climatológicas.

De janeiro a novembro, a cidade teve um acumulado de 577 milímetros, de acordo com dados da rede pluviométrica do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), responsável por medir o volume de chuvas em todo o estado de São Paulo. Esse índice é 25,6% menor quando comparado ao mesmo período do ano anterior, que somou 776 milímetros e 35% abaixo da média histórica dos últimos quatro anos.

O mês de novembro registrou apenas 82,7 milímetros de chuva na cidade, demonstrando que o momento ainda é de alerta e requer atenção para uma plena recuperação das represas Carvalhal e Fiscal, que juntamente com 19 poços subterrâneos abastecem o município e apresentam situação crítica.

O Fiscal, braço da represa do Itupararanga, é a principal fonte de captação do município e atualmente está operando com vazão reduzida de aproximadamente 45 l/s, sendo que o normal seria de 60 l/s, ou seja, uma redução de 25%. Atualmente, a captação no Fiscal atingiu o nível de 1,05 m, inferior ao mínimo necessário para operação que é de 2,20 m e somente está sendo possível devido a instalação de uma bomba suplementar que permite captar a água nesse nível, muito abaixo do canal de entrada do poço de sucção da estação elevatória de água bruta.

Já a represa do Carvalhal atingiu o nível para captação de 1,89 m, sendo que o mínimo para operação é 1,70 m. Para a recuperação de nível desse manancial a concessionária segue operando a captação em regime de revezamento. Os poços que complementam o sistema de abastecimento da cidade se encontram em estado normal até o momento.

De acordo com o portal Climatempo, os mairiquenses podem se preparar para um dezembro quente e de poucas chuvas, o que mantém a cidade numa condição de alerta em relação às captações para o abastecimento público.

Diante desse cenário a concessionária colocou em prática, desde o início do ano, no município, um Plano de Contingência prevendo um possível agravamento da disponibilidade hídrica, que inclui ações como a substituição e extensão de redes nos bairros Jardim Vitória e Dona Catarina, obras para a perfuração de um novo poço no Distrito de Moreiras e um programa de combate às perdas de água que já reduziu pela metade o índice.

Em 2010, captava-se 150 l/s e o indicador de perdas era de 56%, atualmente esse índice está em 29%, enquanto a vazão de captação é de 107 l/s. É importante registrar que nesse mesmo período a população de Mairinque cresceu 10%, segundo dados do IBGE (43.223 – 47.723 habitantes), ou seja, houve uma redução no volume de água captado no manancial de 29%, enquanto a população cresceu 10%.

A concessionária Saneaqua, responsável pelos serviços de água e esgoto de Mairinque, reforça a orientação para o uso consciente de água.

“Vivenciamos um novo ano atipicamente seco. O cenário é bastante semelhante a 2014, com pouco volume de chuvas e impacto nos mananciais de captação, e o que temos observado é um certo ‘relaxamento’ quanto ao consumo consciente de água. Reforçamos que apesar da chegada do mês das chuvas, o momento permanece crítico e precisamos todos fazer o bom uso da água. É uma medida necessária e de interesse de todos, concessionária e população”, afirma Rodrigo Dias, diretor de operações da Saneaqua em Mairinque.

Em Mairinque, o consumo per capita médio de água é de 165,90 litros/habitantes/dia, o que significa que cada morador da cidade tem consumido 55,90 litros de água a mais que o recomendado pela Organização das Nações Unidas (ONU), que define como o necessário para o atendimento às necessidades de consumo e higiene o volume de 110 litros/habitantes/dia.

A concessionária lembra que pequenas atitudes fazem uma grande diferença no uso e na preservação dos recursos hídricos. “Na rotina de casa, nos afazeres domésticos, é possível evitar o desperdício usando a máquina de lavar na capacidade adequada para o volume de roupas, utilizar a água do tanque para lavar quintal e varanda, usar o balde para lavar calçadas e carros em vez de mangueira, molhar as plantas com um regador removível e econômico, de preferência no início da manhã ou à noite, fechar as torneiras ao escovar os dentes e ensaboar as louças e, principalmente, não demorar nos banhos”, reforça o diretor.

Dicas para um uso mais consciente de água estão disponíveis na página da campanha Jogando junto pela água, em https://jogandojuntopelaagua.com.br/. Neste endereço eletrônico, a Saneaqua reúne todas as informações relacionadas a estiagem, como dados atualizados dos mananciais de captação, índices pluviométricos e um detalhamento das ações da concessionária no município.

Jornal O Democrata São Roque

Fundado em 1º de Maio de 1917

odemocrata@odemocrata.com.br
11 4712-2034
Rua Marechal Deodoro da Fonseca, 04
Centro - São Roque - SP
CEP 18130-070
Copyright 2021 - O Democrata - Todos os direitos reservados