Conselho do Meio Ambiente aprova duplicação da Raposo Tavares

O Conselho Estadual de Meio Ambiente do Estado de São Paulo (Consema) votou favorável, nesta quarta-feira, 25 de março, ao Estudo de Impacto Ambiental-Relatório de Impacto Ambiental (EIA-RIMA) da Duplicação da Rodovia Raposo Tavares (SP-270) entre o km 46,7 ao 63 e entre o 67 ao 89,7 km, da Concessionária de Rodovias Oeste de São Paulo – ViaOeste.

A aprovação ocorreu durante a 386º Reunião, a primeira realizada por videoconferência, faz parte da fase inicial para obtenção das licenças ambientais: Licença Prévia, de Instalação e de Operação.

A SP-270 é uma importante via de interligação entre a capital do Estado e a região oeste de São Paulo, além de conectar eixos rodoviários, como a SP-250 em Vargem Grande Paulista e a SP-097 em Sorocaba.

Ao todo serão duplicados 39 quilômetros da Rodovia Raposo Tavares, entre o Km 46 ao 63, no município de São Roque, e entre o km 67 ao 89, nos municípios de Alumínio, Mairinque e Sorocaba. Nesse trecho o fluxo de tráfego é intenso tanto de veículos leves como de pesados.

Com a conclusão da obra, todo o trecho da SP-270 que liga os municípios de Cotia até Sorocaba estará duplicado.

Depois da duplicação, a via contará com duas faixas de rolamento por sentido, acostamento e faixa de segurança. E será uma nova opção ao fluxo rodoviário do entorno, melhorando a circulação de veículos locais e regionais.

Com trânsito mais fluido e seguro, a região poderá atrair investimentos públicos e privados, alavancar a economia da região e gerar empregos diretos e indiretos com a contratação de mão de obra local para as intervenções.

As faixas duplicadas também contribuirão para a redução de acidentes. A obra prevê ainda melhoria nos mecanismos de drenagem no intuito de diminuir as inundações próximas à rodovia, já pensando em eventos extremos, cada vez mais constantes.

Os serviços também preveem a implantação de mais sete passagens de fauna, totalizando nove nesse trecho. Haverá telas de direcionamento e sinalização de alerta aos motoristas, visando os cuidados com a fauna. As curvas acentuadas serão corrigidas e todos os dispositivos de acesso serão em desnível, com alças e viadutos.

Vale destacar que a maior parte das obras serão realizadas dentro da faixa de domínio já existente, ou seja, até as áreas laterais da pista, o que contribuirá para minimizar os impactos da construção.