Alumínio recebe pela primeira vez a exposição fotográfica Floresta Viva

A Companhia Brasileira de Alumínio, a Votorantim Energia e o Legado das Águas, maior reserva privada de Mata Atlântica do país, levaram para Alumínio, no fim de setembro, a exposição “Floresta Viva”, que além de paisagens únicas, as imagens retratam animais raros ou em perigo de extinção, como a primeira anta albina registrada na natureza e o cachorro-do-mato-vinagre. O evento aconteceu no Centro de Vivência Ambiental (CVA) da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) e contou com a presença de mais 600 pessoas, entre estudantes da rede municipal de ensino e empregados da empresa.

As imagens são de autoria do fotógrafo Luciano Candisani, da National Geographic e parceiro da Reserva, que há mais de 20 anos se dedica à documentação da natureza. As fotografias revelam a exuberância da fauna, flora e as paisagens da Mata Atlântica, registradas no Legado das Águas, área de 31 mil hectares de floresta em alto grau de conservação, localizada a poucas horas da capital paulista.

A exposição ainda trouxe uma particularidade: parte das fotografias foram feitas do modo tradicional, em que Candisani entra na mata e registra os animais; mas algumas imagens foram captadas por meio dos Estúdios da Mata, que são armadilhas fotográficas montadas no meio da floresta, com equipamentos de última geração que fotografam automaticamente quando ocorre algum movimento no campo de visão da câmera.

“A exposição Floresta Viva é uma oportunidade única de conhecer animais que só podem ser encontrados em florestas em alto grau de conservação, como o Legado das Águas. O objetivo é conectar o público com o conceito de floresta viva e provedora de serviços ambientais indispensáveis para a nossa qualidade de vida. É um passo fundamental para a conservação”, diz Salete Vicentini, coordenadora do Legado das Águas.

O evento encerrou com plantio de espécies nativas da Mata Atlântica em três escolas do município. As plantas foram doadas pelo Instituto OMP (Olinto Marques de Paulo), por meio do projeto Árvore Generosa, cujo objetivo é que cada criança tenha uma árvore, contribuindo para a sensibilização da importância da natureza.