Cerveja e saúde

O consumo de álcool pode ser realizado a fim relaxar, diminuir o estresse e a ansiedade; principalmente em situações sociais de lazer e entretenimento.

No Brasil, 52% dos brasileiros bebem, enquanto os 48% restantes não, ou seja, nunca beberam ou consomem no máximo uma vez no ano. Desde o início da década de 1990, inúmeros estudos científicos têm mencionado a relação entre o uso moderado de álcool e a incidência e progressão de doenças crônicas, nas quais o sexo, o tipo de bebida e as variáveis de confusão (sociais e demográficas) devem ser consideradas. Assim, o consumo moderado de álcool tem sido associado a uma diminuição de mortalidade geral, o que sugere um possível efeito benéfico desse uso sobre a saúde.

Os benefícios da cerveja realmente existem. A pesquisa sugere que, além de saciar a sede, a bebida reduz o risco de doenças cardíacas e melhora a saúde do cérebro. Concluiu também que evidencias apoiam os benefícios do consumo moderado de álcool como parte de um estilo de vida saudável, mais especificamente da cerveja.

A premissa são as proteínas e vitaminas, ricas em antioxidantes que combatem os radicais livres que prejudicam as células e causam doenças como aterosclerose e câncer. Claro que isso só é válido para consumo moderado. A Organização Mundial da Saúde prevê como consumo moderado, 14 unidades por semana, cada unidade representa 10 ml de álcool puro, ou seja, 140 mililitros ou 112 gramas de álcool por semana. Isso significa nove chopps de 300 mililitros por semana. Pratique a saúde!

Beba menos, beba melhor!
Para produzir sua própria cerveja entre em contato pelo e-mail:
[email protected]
Instagram @_roger_santiago_
#culturacervejeirasr

Por Rogério Santiago