Caras e Bocas

Socorro Momo sumiu. Quem sacudiu e ferveu nos bons e velhos Carnavais terá o doce gostinho guardado para sempre em seu instinto de mulata passista do nosso Carnaval tupiniquim interiorano. Com gosto de fel ou mel, cara de quarta feira de cinzas, tivemos que nos excluir da maior folia da terra para que a vida humana não fosse extinta de vez. O frisson de Momo para muitos foi como o diabo gosta, repleto de folia, colocón e bons atendimentos. Se as luzes da Av. do Samba não acenderam , restou acender a chama do desejo de cair em tentação e desabrochar lindamente nós cantinhos ditos “vip ou reservados” e sem aglomeração, onde a festança da carne reinou como se fosse o último dia da terra ou da terrinha. Claro que houve bloquinhos escondidos, (nem tantos), tipo de família, de amigos, de conhecidos, de chegados, enfim teve “Carnavalzinho” bem com a cara da Pandemia, disfarçada de boazinha, mas com a alma louca para se esparramar feito trepadeira e nem aí para a quarta de cinzas, afinal o que importava era extravasar, se entregar, embriagar de amor, desejo, e tesão como se todos fossem amantes da baderna mais gostosa, e divertida do planeta. Entre plumas, paetês, ensandecidos em devaneios, o forfé pegou fogo e o caldeirão borbulhou na linha sai da frente que vou mamar. Quando dei por mim, vi que o reinado de Momo ou Mona sei lá, foi apenas uma migalha de risos, sem aplausos, mas com a certeza que dias melhores virão e novamente vestiremos a fantasia para celebrar a vida.

Pérolas aos Porcos. Tem gente que vai embora na certeza de fazer falta e acaba fazendo um favor. As descoladas e poderosas arrasaram com um carnaval bem família, onde reinou o otim, a alegria, boa música e carão. Depois de longos anos indo em tudo, a gente descobre que não ser convidado (e nem incomodado), para alguns eventos é bem melhor do que se fosse. A pequena notável se cansou de palpitar e dar conselhos alheios e foi se esbaldar no litoral, afinal Covid não pega em boca de sandália, seraaaa. Tem dia que você para pra pensar e da vontade de falar muitas verdades, nas pensa, pensa, e pensa para não magoar fulana que é mais rodada que saía de baiana. Tem gente que eu olho e penso, esse nasceu no avesso, não deixaram nem por decreto passar na fila da beleza. Curuzes. Fui!!!