Doação, um exemplo a ser seguido

A pandemia que se abateu no planeta terra tem sido devastadora, não só na área da saúde, como em quase todos os setores da economia, que nos obrigou a declarar guerra contra um inimigo invisível, destruidor e extremamente mortal. 

No Brasil – de tamanho continental, com 210 milhões de habitantes, diferenças sociais alarmantes, estrutura hospitalar deficiente, quase 12 milhões de desempregados – a situação que era difícil se tornou muito mais grave.

Nessa batalha – que vem ceifando milhares de vidas, fechou empresas de todos os portes e contabiliza milhões de desempregados – aqui e ali assistimos a colaboração de voluntários e pessoas simples, que confeccionam a máscara para uso próprio e doam a quem precisa; outros, que preparam marmita para os caminhoneiros. São exemplos de solidariedade que tocaram grandes bancos e empresários de porte, que viram que não podiam ficar de fora neste momento tão crucial na vida do brasileiro.  

Infelizmente, um setor que se mostra refratário a colaborar é a classe política. Em São Roque, por exemplo, nossos políticos parecem estar numa redoma de aço, que permite ver e ouvir a aflição dos que os cercam, mas os tornaram… Insensíveis!  Romper tal carapaça exige coragem, sim, pois ir na contramão do grupo a que pertence provoca o diz-que-diz, o mal olhado e uma enxurrada de críticas.

Pois bem! Os vereadores Guto Issa e Estrada, logo entenderam que a situação exigia ajuda, e fizeram a doação de 15% dos salários por dois meses. A questão crucial era se o ato deveria ser anônimo, ou anunciado.

Se anônimo, ninguém tomaria conhecimento, e os demais políticos, de mão fechada, manteriam o escorpião rei no bolso.

Se anunciado, ocorreriam elogios, mas as críticas dos pares viriam com força, como de fato ocorreu, ajudados por alguns tagarelas que diziam que tudo não passava de jogada política, por estarmos em ano eleitoral.

Felizmente prevaleceu a segunda hipótese, e o fio da meada foi puxado, tanto é que dias depois, o Alcaide resolveu fazer a doação de 20% do seu salário por um mês, é pouco, mas ajuda, inclusive do vice, mais a dos cargos comissionados, que irão contribuir numa escala de 5 a 15%, excluídos os funcionários de carreira.

A doação veio em boa hora!  Por essa razão parabenizamos o prefeito que, sensibilizado pela atitude dos vereadores Guto Issa e Estrada, chegou à conclusão que o exemplo de doação por eles praticado merece ser seguido.

Roberto de Moraes