Escola Emília Borges realiza apresentação do Projeto Fome Zero

Os estudantes da Escola Municipal Prof.ª Emília Miranda Borges Pereira, Bairro Granada, apresentaram na segunda-feira (15) as atividades desenvolvidas no Projeto Fome Zero, organizado pela instituição de ensino com o apoio do Instituto Tortuga/DSM.

Na ocasião, o Diretor Pedagógico, Edilson Bonifácio, representando a Secretária de Educação e Cultura Rita Sarti Benatti, e a Coordenadora de Projetos do Instituto Tortuga, Cristina Rodrigues, estiveram presentes.

Os alunos do 6º ano do Ensino Fundamental II organizaram atividades de pesquisa e estudos sociais relacionados aos parâmetros de uma alimentação saudável, desperdícios de alimentos e consumo pelas diversas classes sociais. Os trabalhos apresentados receberam a orientação dos professores Cristina Barione, Nilza de Macedo Pita, Rosângela Maria Leite e André Mendes.

De acordo com a Diretora da escola, Márcia Moura, esse Projeto tem a finalidade de discutir os principais pontos que envolvem a fome no Brasil e no Mundo, explicando através de exemplos os motivos para evitar o consumo sem controle dos recursos. “Já trabalhamos com os alunos, através da nossa horta, a conscientização sobre o desperdício, mostrando que a fome é a realidade em diversos locais do globo terrestre, inclusive no Brasil. Esse projeto ajuda a despertar nos meninos e meninas a vontade de mudança, fazendo com que eles se engajem para mudar esse cenário”.

Para o Diretor Pedagógico Edilson, projetos como esses proporcionam discussões coerentes e auxiliam na formação de senso crítico dos estudantes. “A produção de pesquisa sobre o tema envolve diversas disciplinas, que por sua vez apresentam os fatos que envolvem a fome. A problematização cria um incomodo nesses estudantes e os incentiva a buscarem soluções para o futuro”.

No ano de 2018, a Escola Emília Borges inaugurou o Projeto “Eco Escola – Plantando a semente do amanhã”, resultado de um desafio socioambiental que envolveu aproximadamente 90 pessoas na implantação de uma cisterna, que armazena água da chuva para a reutilização em serviços diários, uma horta para plantio de hortaliças e uma composteira para o reaproveitamento dos restos de alimentos da instituição de ensino.