Em mais uma noite complicada para os clubes brasileiros na Libertadores, Palmeiras se salva no acréscimos

A frase “não tem mais bobo no futebol” está ficando cada vez mais velha. As dificuldades que os grandes clubes brasileiros passam na Copa Libertadores da América podem ser observadas para acabar com o folclore de que os clubes andinos são fracos. Na noite de estreia da competição, Santos e Internacional sofreram diante de equatorianos e e bolivianos e acabaram derrotados. Nesta quarta-feira, 21, Palmeiras e Atlético Mineiro passaram invictos, mas tiveram que suar muito a camisa.

Deportivo La Guaira 1 x 1 Atlético-MG

Na Venezuela, os donos da casa saíram na frente com gol de Martinez, aos 20 minutos do primeiro tempo, mas sofreram o empate aos 20 do segundo tempo, com Zaracho. Apesar do resultado, o destaque do jogo foi Everson, goleiro do Galo, e os muros da sede do time brasileiro já amanheceram pichados com “Fora Cuca”. O time do La Guaira é claramente muito frágil taticamente, mas a defesa atleticana se mostrou ainda mais. O desempenho de Hulk e Tchê Tchê se mostrou muito abaixo do esperado e deixou o treinador em maus lençóis com a torcida.

Universitario 2 x 3 Palmeiras

O Palmeiras abriu o placar com Danilo e ampliou com um golaço de Raphael Veiga. Daí em diante, um jogo que parecia tranquilo quase se tornou um pesadelo. O zagueiro do verdão Empereur, que já tinha amarelo, fez uma falta desnecessária e foi expulso. Os peruanos, então, partiram pra cima em busca do empate que veio logo em seguida. Quatro minutos após ficar com um jogador a menos, os brasileiros já viram o placar empatado em 2 a 2. Enzo Gutiérrez marcou aos 20 e aos 23 do segundo tempo. O zagueiro Renan aliviou a pressão aos 50 do segundo tempo e trouxe a vitória para o técnico Abel.