Suprema Corte Italiana mantém condenação de Robinho a 9 anos de prisão | Esporte

A Suprema Corte da Itália confirmou a condenação do jogador brasileiro Robinho, que teve passagens por Santos, Milan, Real Madrid e seleção brasileira, a nove anos de prisão por seu envolvimento em um episódio de violência sexual em grupo contra uma mulher albanesa em 2013, afirmou o advogado do atleta na quarta-feira (19).

A decisão é definitiva e não cabem mais recursos.

Em 2017, um tribunal de Milão concluiu que Robinho e outros cinco brasileiros eram culpados de abusar sexualmente de uma mulher em uma casa noturna. A condenação foi confirmada em segunda instância em 2020.

Robinho, cujo nome completo é Robson de Souza, vive no Brasil. Seu advogado italiano Franco Moretti confirmou na quarta-feira a condenação à Reuters, classificando a decisão como “profundamente injusta”.

Robinho, de 37 anos, jogou por alguns dos grandes clubes europeus, entre eles Real Madrid, Manchester City e Milan, e assinou um contrato em 2020 para voltar ao seu primeiro clube no Brasil, o Santos.

O acordo, no entanto, desabou completamente após os patrocinadores ameaçarem o cancelamento de contratos com o clube pela contratação de um jogador condenado por estupro.

A Itália poderia iniciar um processo de extradição agora que Robinho recebeu uma condenação definitiva, mas a Constituição brasileira impede a extradição de cidadãos do país.

* É proibida a reprodução deste conteúdo.

Fonte: EBC Esportes

Jornal O Democrata São Roque

Fundado em 1º de Maio de 1917

odemocrata@odemocrata.com.br
11 4712-2034
Rua Marechal Deodoro da Fonseca, 04
Centro - São Roque - SP
CEP 18130-070
Copyright 2021 - O Democrata - Todos os direitos reservados