Estrada do Carmo: mato, buracos e um perigo a cada curva

Durante esta semana, um motorista que utiliza a Estrada do Carmo, que liga São Roque até Vargem Grande Paulista procurou nossa redação para reclamar e pedir por manutenções e melhorias na estrada. O leitor, que preferiu não se identificar, mas enviou diversos e-mails mostrando seus contatos com a prefeitura, diz que utiliza a estrada diariamente para trabalhar há mais de 10 anos e nunca viu o local tão abandonado pelas últimas gestões.

“Há meses eu venho reclamando do estado de conservação da estrada que liga o bairro do Carmo, com a Rota do Vinho e alertando por possíveis acidentes que fatalmente ocorrerão pelo estado horrível que está o trajeto”, disse.

O motorista também fez um alerta de que algumas semanas atrás, um ciclista foi atropelado na estrada.

“Fiquei sabendo que atropelaram um rapaz de bicicleta nessa estrada nas últimas semanas, tanto que até os ciclistas que frequentam muito essa estrada, tiveram que colocar placas (por eles mesmos) no local, indicando aos motoristas para tomarem cuidado”, desabafou.

O grande problema apontado são buracos e mato espalhados pela Estrada do Carmo.

“Tem buracos enormes no asfalto que chegam a mais de 30 centímetros de profundidade e tomam as duas faixas da pista. Tem moradores colocando cacos de telhas e blocos pra tentar minimizar os problemas, mas só está piorando, além do risco de cortar os pneus dos carros, pois as chuvas tiram os cacos dos buracos. O mato tomou conta de vez da estrada toda. A grande maioria da estrada, “que era mão dupla”, hoje só passa um carro por vez por causa do matagal que tomou conta em vários trechos, o barro que desce das chácaras desemboca no asfalto, formando piscinas de lama de mais de 20 centímetros de espessura”.

“Nunca em 10 anos pegando essa estrada todos os dias, eu a vi num estado tão deplorável e com risco altíssimo de acidentes graves, assim como já ocorreram antes. Placas de sinalização? Não se vê quase nenhuma mais, pois estão cobertas pela vegetação. Faixas na pista, todas apagadas e cobertas pelo mato.  Os buracos em curvas muito fechadas tomaram conta e a terra cobriu o asfalto em grande parte do trajeto. Quando alguém irá tomar alguma providência e mandar arrumar com urgência aquilo?” conclui.