As relações sociais-escolares em tempos do Covid-19

Em tempos de isolamento social devido à pandemia do Covid-19, precisamos ter vários cuidados no dia-a-dia, porém, muitas vezes esquecemos de nós mesmo, e nesse processo é, fundamental cuidarmos de nossa saúde mental.

Quando falamos de saúde mental sempre levamos um susto ou acontece um estranhamento; será que estou com algum problema psicológico? não é isso! nesse processo pandêmico estamos mais vulneráveis, impactando diretamente os seres humanos de maneiras específicas, com isso podemos ter algumas alterações de humor, relacionamento, medos, carências, solidão, saudades e outros sentimentos.

Contudo, é importante ressaltar que nem todos os problemas psicológicos e de sociabilidade poderá ser avaliado como doença. Pensando no âmbito escolar, a escola é fundamental no desenvolvimento do indivíduo e nas relações interpessoais, passamos boa parte do dia nela, não apenas para aprender ou conhecer os processos educacionais, mas para ter o conhecimento do que é, viver em coletividade, sendo que a escola é uma espaço multicultural, e que os alunos são a peça fundamental no processo de aprendizagem, sendo o protagonista, os professores são mediadores de todo esse processo, outra função da escola é presar um funcionamento para a reprodução da convivência, com algumas ‘regras e valores’ devido aos estatutos de cada unidade escolar.

Com a pandemia, as relações sociais-escolares foram cortadas de forma repentina, e com isso se criou um vazio social. Pensando nesse momento, é de suma importância buscarmos alternativas para os dias que estamos vivenciando. Nesse processo precisamos fazer algumas alterações nos dias, sendo, que o tempo ocioso é mais frequente por estarmos em casa direto, é preciso uma adequação para usufruir e manter corpo e mente em atividade, mesmo dentro do ambiente caseiro.

Trazendo algumas coisas que vivenciamos na escola, poderá ser fundamental para a rotina diária ser preenchida, a escola tem uma rotina de horários e tempo de interação, que pode ser adaptado na rotina do isolamento social, para a manutenção das atividades diárias estudantis, e manter o corpo e mente em atividade contínua, mas sempre respeitando seus limites e anseios. O uso da tecnologia nesse processo é fundamental, tanto nas interações sociais e na continuidade dos estudos. Ferramentas digitais são a ponte entre os diálogos com amigos, familiares e também do estudo, então é saber usar cada uma para seu desenvolvimento e interação.

Buscando manter-se na atividade pode-se fazer algumas estratégias e
cuidados diários:

● Identificar e de alguma maneira acolher seus sentimentos (medos,
solidão, apreensão, anseios, etc), buscar conversar com pessoas de
confianças para desabafar;

● Retomas as atividades que trazem algum conforto, e que dão para ser
realizadas em casa, assim poderá trazer alívio das angústias
vivenciadas;

● Realizar atividades e exercícios que ajudam a diminuir o estresse
(atividades físicas, leitura, meditação, escutar música, filmes, séries,
desenho, etc)

● Manter contato, mesmo que virtual, com familiares, amigos e colegas,
para a preservação das interações socioafetiva;

● Evitar ficar logado direto na rede de informações (internet, tv, rádio,
etc), cautela sempre;

● Buscar fontes confiáveis para se informar dos assuntos do cotidiano;

● Cuidado com as fake news;

● Pensar em planos para manter os desejos futuros;

Essas são algumas estratégias que poderão ser utilizadas nesse momento, porém, caso alguma alteração esteja forma da normalidade e o emocional esteja com variações, não se prive busque ajuda de um profissional de Saúde Mental e/ou busque informações, a escola estará sempre de portas abertas para direcionar os alunos, lembre-se você não está sozinho.

Referências Bibliográficas
Cartilhas reúnem recomendações em saúde mental na pandemia. Fiocruz, 2020. Disponível em:
< https://agencia.fiocruz.br/cartilhas-reunem-recomendacoes-em-saude-mental-na-pa ndemia >. Acesso em: 22 de jun. de 2020.
VIGOTSKI, L. S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, ALEXIS. Linguagem, Desenvolvimento e Aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1988

Alex Almeida Braz - Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” Campus Marília (2017) E-mail: aalmeidabraz@gmail.com Professor de Sociologia-História na “E.E Estação Dona Catarina” Mairinque-SP - "E.E Humberto Victorazzo Professor" Araçariguama-SP