Procurador esfaqueia juíza em tribunal na avenida Paulista

Um procurador da Fazenda foi preso após tentar assassinar uma juíza a facadas na sede do TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região), na avenida Paulista, na noite de quinta-feira (3). Matheus Carneiro Assunção foi contido por outros funcionários do local.

De acordo com o portal Conjur, o procurador mostrava um comportamento alterado antes de cometer o crime. Antes de entrar na sala onde estava a juíza Louise Filgueiras – que cobria férias do desembargador Paulo Fontes –, Assunção foi ao gabinete de outro desembargador, que não estava no local.

Ao invadir a sala, entre 17h e 19h, a vítima conseguiu se afastar do homem, que tentou acertá-la com uma jarra de vidro, mas não acertou. O barulho chamou a atenção de assessores, que imobilizaram o suspeito. Ele foi encaminhado para a sede da PF (Polícia Federal) em São Paulo, na Lapa, zona oeste.

Depois do episódio, a vítima ficou com ferimentos leves na região do pescoço, mas passa bem. Ela deve prestar depoimento à PF nesta sexta-feira, mesmo dia em que Matheus Carneiro Assunção passa por uma audiência de custódia.

‘Fazer o que Janot deixou de fazer’

Testemunhas relataram que, após ser impedido de seguir com a ação criminosa, o suspeito aparentava estar em estado de surto e citou o ex-PGR (Procurador Geral da República) Rodrigo Janot, que afirmou em entrevistas ao jornal Estado de São Paulo e à revista Veja que levou uma arma ao STF (Supremo Tribunal Federal) com a intenção de assassinar o ministro Gilmar Mendes – ato que não se concretizou.

Assunção disse que deveria ter entrado armado no TRF-3 “para fazer o que Janot deixou de fazer”. Outras frases se referiam a um desejo do homem de “acabar com a corrupção no Brasil”.

Em nota, o TRF-3 lamentou o ocorrido e reiterou o comprometimento com a segurança dos magistrados, servidores, colaboradores e público externo nas imediações do local.