História do vinho no Brasil

PARTE 11 – VINHOS DO PARANÁ (parte I)

A história da viticultura no estado do Paraná teve início ainda no período da colonização do Brasil a partir de 1557 com a fundação de Ciudad Real del Guayrá pelos espanhóis jesuítas, com uvas provenientes de Buenos Aires, que terminou com a destruição das missões pelos bandeirantes. Houve uma retomada com a chegada dos imigrantes europeus vindos da Suiça, França Alemanha e Itália a partir de 1852, houveram várias ondas migratórias ao longo dos anos fortalecidas pela cultura do vinho, tornou-se uma atividade econômica de relevância.

O início dos anos 60 foi marcado pelo declínio da viticultura. Diversos fatores contribuíram para a decadência da produção: mercado imobiliário, fechamento de institutos de pesquisa Sub-Estacão de Enologia de Campo Largo, doenças da videira, queda do preço do vinho, devido a competitividade para o vinho do Rio Grande do Sul, associado a diminuição do consumo do vinho.

O Paraná produz uvas para vinhos em diferentes regiões, com destaque para o sul do estado liderado por Bituruna, seguido pela região do sudeste tropeiro, o sudoeste paranaense, e mais recentemente, a região metropolitana de Curitiba.

Apresentamos a seguir as principais Vinícolas produtoras de vinhos finos:

Vinícola DEZEM – Toledo – PR

Pequena vinícola familiar criada em 2004 com vinhedos próprios e planejada para elaboração de vinhos diferenciados e originais, que reflitam o conceito de terroir da região, o solo tem forte presença de dióxido de ferro, oferecendo características minerais ao vinho.

As uvas que mais se adaptaram a região são as brancas Chardonnay, Sauvignon Blanc e Malvasia de Cândia, e as tintas Merlot, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Tempranillo, Pinot Noir e Tannat.

Vinícola RH – Mariópolis – PR

Criada em 2000 pelo casal Waner Herget e Odilete Rotavia,é uma vinícola dedicada a produção de espumantes,  após muitos estudos de solo, clima, insolação e índices pluviométricos, entre outras avaliações optaram pelo cultivo de uvas Chardonnay e Pinot Noir, O vinhedo está sob condução em espaldeira, pois possibilita melhor ventilação entre as plantas e melhor exposição ao sol.

O processo utilizado na elaboração dos espumantes é o método tradicional (champenoise), que consiste em dupla fermentação, primeiro com o vinho base nos tanques de inox e no caso do nature em barricas de carvalho. e segundo na própria garrafa.

Vinícola Bertoletti – Bituruna – PR

A tradição do cultivo de uvas e elaboração de vinhos vieram das primeiras gerações de imigrantes italianos que se instalaram em Bituruna em 1927, trazendo mudas de plantas do Rio Grande do Sul, na década de 1980 surge a vinícola Bertoletti, produzindo vinhos e derivados de uva a partir de vinhedos próprios, já na década de 1990, Claudinei Bertoletti forma-se em enologia em Bento Gonçalves e retorna com a missão de aperfeiçoar a qualidade dos vinhos familiares e ampliar sua comercialização.

Em 2020, Bituruna e reconhecida pela assembleia legislativa do Paraná como a Capital Paranaense do Vinho.

Vinícola Di Sandi – Bituruna – PR

Em 1933 Luiz Antônio Sandi e Assunta Vens Sandi vieram ao Paraná, trazendo em suas bagagens ramas de parreiras que dariam origem aos vinhedos e a uma nova história, numa região montanhosa e com altitude de quase. Em abril de 2002 foi fundada a Vinícola Di Sandi, e desde então a família busca preservar sua tradição em vitivinicultura com a produção de sucos, vinhos de mesa e vinhos finos.

Vinícola La Dorni – Bandeirantes – PR

A vinícola La Dorni está localizada no município de Bandeirantes, produz vinhos de mesa, vinho canônico, vinhos finos e vinhos sem álcool, inclusive presenteou o Papa João Paulo II.

Vinícola Casa Carnasciali – Apucarana – PR

A Vinícola Casa Carnasciali é o primeiro empreendimento do gênero na Serra de Apucarana, e vinhos coma as variedades chardonnay, pinot noir e shiraz. A primeira safra de 2 mil quilos foi feita em dezembro de 2018. A partir de 2021, a colheita deve chegar a 100% da capacidade de produção, com previsão 30 mil garrafas anuais de vinhos e espumantes.

+ Parte 1 – HISTÓRIA DO VINHO NO BRASIL COMEÇOU NO ESTADO DE SÃO PAULO

+ Parte 2 – HISTÓRIA DO VINHO EM SÃO ROQUE

+ Parte 3 – A VITICULTURA NO RIO GRANDE DO SUL

+ Parte 4 – FASES DA VITIVINICULTURA NA SERRA GAÚCHA

+ Parte 5 – FIM DO SÉCULO PASSADO E INÍCIO DOS ANOS 2000

+ Parte 6 – AS CONQUISTAS DAS ÚLTIMAS DÉCADAS

+ Parte 7 – REGIÕES VINÍFERAS NO RIO GRANDE DO SUL

+ Parte 8 – REGIÕES VINÍFERAS EM SANTA CATARINA

+ Parte 9 – NOVOS “TERROIR”

+ Parte 10 – VINHO DO CERRADO – GOIÁS

Agradeço desde já quem quiser colaborar com a memória do vinho brasileiro. Podem entrar em contato! Cordialmente, Carlos Vivi!