João Doria anuncia hoje que “medidas adicionais certamente serão adotadas”, mas restrições não aumentam

O Governador João Doria acompanhou na manhã desta quarta-feira (17) a liberação de mais 2 milhões de doses da vacina do Instituto Butantan contra o coronavírus ao PNI (Programa Nacional de Imunizações) do Ministério da Saúde. O total de vacinas disponibilizadas pelo instituto chegou a 22,6 milhões de doses desde o início das entregas, em 17 de janeiro. Somente nesta semana foram mais de cinco milhões de doses.

Após a visita, Doria falou com jornalistas e, questionado sobre uma matéria da Folha de São Paulo, que afirmou que técnicos do governo calcularam que o os hospitais de todo estado entrarão em colapso amanhã (18/03), ele respondeu:

“Hoje o Centro de Contingência da COVID-19 tem uma reunião pela manhã. Esta reunião termina por volta das 11h, 11h30 tem a reunião preparatória para a coletiva. Na coletiva anunciaremos quais serão as medidas adicionais que certamente terão que ser adotadas. Nós estamos diante de um quadro gravíssimo, dramático, não apenas em São Paulo, mas em todo Brasil” – disse Doria que apresenta nesta quarta-feira (17), às 12h45, no Palácio dos Bandeirantes, informações sobre o combate ao coronavírus (COVID-19).

Doria aproveitou para criticar o novo Ministro da Saúde: “Acho que o ministro começou mal. Acho que o Ministro da Saúde, como cardiologista, assume o Ministério da Saúde e diz quem manda é o Presidente da República, que não é médico, já é um mal início, um mal presságio de mais alguém que prefere fazer vassalagem ao Presidente da República, ao invés de atender aquilo que a medicina, aquilo que ele aprendeu na escola, na faculdade, na universidade e na prática como cardiologista, começa mal” – concluiu.

Atualização 13h40

Questionado durante a entrevista sobre um possível lockdown, Doria respondeu que não será pautado pela imprensa e passou a palavra para João Gabaldo que comanda o Centro de Contingência. Ele disse que não há como avaliar em apenas três dias o resultado da “fase emergencial” e destacou a necessidade de manter a economia com uma circulação minimamente aceitável. O Governo continua monitorando diariamente a situação e não descarta, inclusive, abrandar as restrições.

As medidas tratam de boas notícias como um plano de apoio econômico, fiscal e tarifário a bares, restaurantes, academias, salões de beleza e produção de eventos em todo o estado de São Paulo. O pacote prioriza estabelecimentos com faturamento mensal de até R$ 30 mil e prevê novas linhas estaduais de crédito, suspensão de tarifas de abastecimento e retomada de incentivos fiscais sobre leite e carne e a antecipação do cronograma de vacinação.

Nesta sexta-feira (19), acontece o início da vacinação contra COVID-19 para idosos com idade entre 72 e 74 anos. Dados do Plano Estadual de Imunização (PEI) indicam um total de novas 730 mil pessoas aptas a receberem a primeira dose no Estado de São Paulo. O Instituto Butantan liberou mais 2 milhões de doses de vacina, totalizando, só nesta semana, a liberação de 5,3 milhões de doses.